Cris Brittes afirma que Daniel segurou seu seio e colocou 'pênis para fora'

Mulher de Edison Brittes, assassino confesso de Daniel, relatou como teria acontecido a suposta tentativa de estupro na manhã do crime

Por iG

Cris Brittes e Allana Brittes (à direita)
Cris Brittes e Allana Brittes (à direita) -
São Paulo - As audiências dos sete acusados da morte do jogador Daniel , em outubro do ano passado, deram seus depoimentos nas audiências realizadas no Fórum de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.
Cristiana Brittes , mulher de Edison Brittes, assassino confesso de Daniel, explicou para juíza Luciane Martins de Paula como foram os momentos que antecederam a morte do atleta, relatando como teria sofrido a suposta tentativa de estupro naquela fatídica manhã.
"Fiquei pouco tempo ali fora na área de festa. Estava com fome, comi um ovo e fui dormir. Fechei a porta do quarto, sem trancar", disse Cris Brittes em depoimento divulgado pelo Tribunal de Justiça do Paraná.
"Estava dormindo e acordei com ele em cima de mim, pegando no meu seio e com o pênis para fora, só usando camiseta. Com o pênis para fora e esfregando em mim. Eu não estava entendendo o que estava acontecendo", continuou Cristiana, chorando bastante.

Leia também: Avó do jogador Daniel ainda não sabe que o neto morreu assassinado
"Na verdade não sei o que eu falei, tive uma reação assustada. Ele disse: 'calma, calma, é o Daniel'. Como se o fato de ser Daniel... quem é Daniel? Quem era o Daniel?", disse a moça.

E ela seguiu: "Comecei a falar 'sai, sai', pedindo socorro. Foi muito rápido. Ouvi alguém tentando abrir a porta do quarto, só que estava trancada. Ele (Daniel) ouviu e não saiu de cima de mim. Aí meu marido pulou a janela e o Daniel ainda estava em cima de mim. Meu marido jogou ele para o lado da cama, estava tomado pelo ódio".

Chorando bastante, Cris desabafou: "Isso que não entendo. Eu estava dormindo na minha casa, na minha cama, no meu quarto dormindo. E fui presa por isso. Eu fui abusada pelo Daniel. Ele não é santo, ele estava em cima de mim com o pênis de fora. Tem fotos que comprovam que ele estava no meu quarto", finalizou.
Em 29 de novembro de 2018, a Justiça do Paraná decretou a prisão preventiva de seis pessoas. Ainda há uma sétima ré: Evellyn Brisolla Perusso, com quem Daniel "ficou" naquela noite e cometeu falso testemunho, que responde em liberdade. Allana Brittes também responde em liberdade após conseguir habeas corpus.
Edison Brittes Júnior : acusado de homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor e coação no curso do processo;
Cristiana Brittes : acusada de homicídio qualificado por motivo torpe, coação do curso de processo, fraude processual e corrupção de menor;
Allana Brittes : acusada de coação no processo, fraude processual e corrupção de adolescente. Ela conseguiu habeas corpus e responde em liberdade;
Ygor King : acusado de homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor;
Eduardo Henrique da Silva : acusado de homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor. Ele é primo de Cris Brittes;
David William Vollero Silva : acusado de homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual, corrupção de menor e denunciação caluniosa;
Evellyn Brisola Perusso : acusada de denunciação caluniosa, fraude processual, corrupção de menor e falso testemunho. Responde em liberdade

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Cris Brittes e Allana Brittes (à direita) Reprodução
Daniel ao lado de Cris Brittes Reprodução

Comentários