Homem mata cinco a tiros e comete suicídio na Califórnia

Autoridades não informaram o motivo do ataque. Até o momento, não foram divulgadas as idades das vítimas. Investigadores buscam relações entre as vítimas

Por O Dia

Local do tiroteio
Local do tiroteio -

Califórnia - Um homem armado matou cinco pessoas, incluindo sua mulher, antes de cometer suicídio, na noite desta quarta-feira, na cidade de Bakersfield, na Califórnia. As autoridades não informaram o motivo do ataque. Até o momento, não foram divulgadas as idades das vítimas.

 

Segundo o xerife do condado de Kern, Donny Youngblood, o homem chegou em uma empresa de caminhões com a mulher. No local, ele confrontou outro homem, pouco antes das 17h30.

 

De acordo com Youngblood, o suspeito atirou na pessoa com quem discutia, em frente à empresa, e então atirou na mulher. Em seguida, perseguiu e atirou em outro homem, que havia aparecido no local.

 

Depois disso, o agressor entrou em uma casa, onde atirou em outras duas pessoas. As autoridades buscavam informações sobre a relação entre as vítimas e não descartam a possibilidade de ser um episódio de violência doméstica.

 

"Estes tiroteios não aconteceram por acaso. Tem que existir uma conexão entre as vítimas, porque alguém não sai atirando em certas residências. Há uma conexão entre todos os envolvidos", afirmou o policial.

 

As autoridades afirmaram que depois de matar as cinco vítimas o homem roubou um carro com uma mulher, que conseguiu alertar a polícia, e uma criança a bordo, que conseguiram escapar a salvo.

 

O suspeito estacionou o carro em frente a uma loja quando notou a aproximação dos policiais e se matou. As imagens da câmera acoplada ao uniforme do policial que localizou o atirador serão analisadas.

 

"Nossos detetives têm cinco diferentes cenas de crime. Estamos ouvindo cerca de 30 testemunhas", declarou o porta-voz, destacando que o suspeito utilizou uma arma de grosso calibre.

 

Com este novo episódio, os Estados Unidos registram 254 tiroteios em massa desde o início de 2018.

 

Com informações do Estadão Conteúdo e da AFP

Últimas de Mundo & Ciência