Enorme cabeça de lobo de 32 mil anos é encontrada na Sibéria

Entregue à Academia de Ciências de Yakutia, paleontólogos russos e japoneses analisaram a peça e estabeleceram que se trata da cabeça de um lobo do Pleistoceno, de 32 mil anos de idade

Por O Dia

Cientistas japoneses ajudaram colegas russos a realizaram uma série de testes e determinaram sua idade em aproximadamente 32 mil anos
Cientistas japoneses ajudaram colegas russos a realizaram uma série de testes e determinaram sua idade em aproximadamente 32 mil anos -
Moscou - Uma gigantesca cabeça de lobo de 32 mil anos de antiguidade, com o cérebro e os dentes intactos, foi descoberta na região russa da Sibéria. Coberta de pelagem e parecendo a cabeça de um mamute, ela foi encontrada por um habitante no verão passado perto de um rio em Yakutia.

Entregue à Academia de Ciências de Yakutia, paleontólogos russos e japoneses analisaram a peça e estabeleceram que se trata da cabeça de um lobo do Pleistoceno (Canis dirus), de 32 mil anos de idade.

Sua dimensão, 41,5 centímetros de comprimento, corresponde à metade do corpo de um lobo atual, que mede entre 66 e 86 centímetros, descreve o documento.

"Isso nos permitiu concluir que o lobo do Pleistoceno era gigantesco", acrescenta.

A cabeça contém "um cérebro intacto, e todos os seus dentes estão preservados", disse o comunicado, que considerou a descoberta "sensacional".

Os tecidos e a pele também estão intactos, de acordo com a mesma fonte.

"É a primeira vez que encontramos restos de um lobo do Pleistoceno com tecidos preservados", disse Albert Protopopov, da Academia de Ciências, citado no comunicado.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários