Mais Lidas

Rebelião em presídio no Paraná termina após presos libertarem reféns

Motim, que resultou em uma morte, começou na última quinta-feira

Por karilayn.areias

Rio - A rebelião na Penitenciária Estadual de Cascavel, no interior do Paraná, foi controlada na manhã deste sábado (11). A rebelião, que resultou em uma morte, começou na tarde da última quinta-feira (9), quando os presos fizeram três agentes penitenciários reféns, e só foi encerrada hoje por volta de 10h, assim que os presos liberaram o último funcionário depois de intensa negociação.

A princípio, os presos que provocaram o motim serão mantidos na unidade. Os detentos que não quiseram se envolver com a rebelião foram transferidos para outra unidade penitenciária da cidade, mas retornarão depois de concluída a etapa de verificação dos prejuízos ocasionados na estrutura e de outros procedimentos de segurança na penitenciária.

O diretor do Departamento Penitenciário (Depen) do Paraná, Luiz Alberto Cartaxo, explicou esta tarde, em entrevista à imprensa, que o esquema de segurança será reforçado e nenhuma visita poderá ser feita nos próximos dias até que o presídio seja recuperado.

Investigações preliminares feitas pelo Depen indicam que a confusão foi motivada por briga entre facções e que a rebelião teria sido estendida como uma estratégia dos presos que tentavam fugir. Cartaxo disse que foram identificados alguns pontos de fuga e que a penitenciária ainda faz a contagem para precisar o número exato dos que continuam foragidos. Alguns presos já foram recapturados.

A Secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária do Paraná (Sesp) foi informada inicialmente que dois presos tinham sido mortos pelos rebelados, mas até o momento foi confirmada uma morte. De acordo com o órgão, além dos três agentes feitos reféns, 28 detentos ficaram feridos.

Segundo a Sesp, a penitenciária foi reformada em 2016 e tem capacidade para abrigar 1.160 presos. Atualmente estava com 980 detentos. Alimentação precária está entre as queixas relatadas pelos rebelados.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia