PF já fez pedido de prisão contra empresários por trás da paralisação, diz Marun

'Temos a convicção de que, além do movimento paredista, existe o locaute', disse o ministro; ele também disse que o governo começará a aplicar multas a quem bloquear rodovias

Por Agência Brasil

Ministro  da Secretaria de Governo, Carlos Marun
Ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun -

Brasília - O ministro Carlos Marun, da Secretaria de Governo, afirmou neste sábado que a Polícia Federal já fez pedidos de prisão para empresários que, segundo a corporação, estão por trás de um locaute na paralisação de caminhoneiros. Locaute é o que acontece quando uma paralisação é coordenada e incentivada por empresários do setor. A prática é proibida por lei.

Marun também informou que o governo começará a aplicar multas no valor de R$ 100 mil por hora parada a quem descumprir o acordo firmado para desbloqueio das rodovias. Os anúncios foram feitos após uma reunião, no Palácio do Planalto, com o presidente Michel Temer e ministros que integram o gabinete de crise, para avaliar a situação nas rodovias federais.

Segundo o ministro, as primeiras ações adotadas pelo governo ontem, quando foi anunciada a ação de forças federais para desbloquear rodovias, garantiram o abastecimento das usinas termelétricas em Roraima. Além disso, de acordo com Marun, os aeroportos de Congonhas, em São Paulo, Porto Alegre e do Rio de Janeiro estão abastecidos e operacionais.

O ministro afirmou que o governo formou a convicção de que existe a prática de locaute e que a Polícia Federal já tem inquéritos abertos para investigar os casos. Nesta sexta, o governo publicou um decreto autorizando ação das Forças Armadas na liberação de rodovias. "Hoje temos a convicção de que, além do movimento paredista, existe o locaute", disse Marun. "A PF já tem inquéritos abertos para investigar essas suspeitas. E os empresários suspeitos serão intimados. Rogério Galloro diretor-geral da PF também nos informou que já existem pedidos de prisão. Estão aguardando manifestação da Justiça", completou o ministro. O ministro disse, no entanto, que a PF não pode dar mais detalhes sobre os pedidos de prisão.

O ministro afirmou que o que presidente Michel Temer está muito preocupado com a situação da saúde. "O que o preocupou sobremaneira o presidente Temer é a situação da saúde. Não obstante nós tenhamos os principais hospitais do país em funcionamento, abastecidos, os seus estoques são de minutos e existe nesse momento uma grande preocupação", disse. Segundo Marun, já foi determinada a aplicação de multa em caminhões que estejam transportando insumos de saúde e que estejam parados.

Últimas de Brasil