Haddad assume lugar de Lula

PT oficializa substituição no dia em que Ibope mostra Bolsonaro firme na liderança

Por

pesquisa 12 set -

A campanha presidencial entrou ontem em nova fase. A Executiva Nacional do PT finalmente confirmou, em Curitiba, que Fernando Haddad representará o partido na eleição de 7 de outubro, com Manuela d'Àvila (PCdoB) assumindo o posto de vice. A menos de um mês da eleição, o desafio do ex-prefeito de São Paulo é conseguir fazer com que uma parcela significativa dos mais de 30% dos eleitores que votariam no ex-presidente Lula transfiram suas preferências para ele. Um dia depois da pesquisa Datafolha que o colocou na disputa pela segundo lugar, Haddad viu números menos animadores no Ibope.

Na pesquisa do instituto, realizada entre sábado e segunda-feira - a do Datafolha foi feita integralmente na segunda-feira -, Haddad aparece com 8% da preferência dos eleitores. Ele está atrás de Alckmin (PSDB) e Marina (Rede), com 9%, e Ciro Gomes (PDT), com 11%, na disputa por um posto no segundo turno. O levantamento mostra Jair Bolsonaro (PSL) em liderança isolada, com 26%.

Na visão do Ibope, Bolsonaro avançou quatro pontos em relação à última pesquisa, em 4 de setembro, dois pontos a mais do que o Datafolha havia indicado. Na simulação de segundo turno, Haddad perderia, ainda que por apenas quatro pontos, para Bolsonaro: 36% contra 40%. Já o Datafolha viu pequena vantagem para o petista: 39 a 38.

Segundo o Ibope, 54% dos 2.002 eleitores pesquisados não votariam em Haddad, com apoio de Lula, de jeito nenhum. Por outro lado, 23% declararam que, com certeza, votariam no ex-prefeito, que ainda precisa ser apresentado para uma ampla fatia do eleitorado - para a qual ele é completamente desconhecido - como o candidato a presidente de Lula.

LULA ABENÇOA HADDAD

A decisão de substituir Lula por Haddad foi tomada no prazo final de 10 dias estipulado pelo Tribunal Superior Eleitoral, em decisão unânime da Executiva, seguindo orientação do ex-presidente Lula.

No primeiro pronunciamento como candidato à Presidência, Haddad, em frente à sede da Polícia Federal, em Curitiba, ressaltou os avanços sociais do governo Lula, cercado de lideranças petistas, inclusive a ex-presidente Dilma Rousseff.

O ex-deputado Luiz Eduardo Greenhalgh leu uma carta de Lula: "Fui incluído artificialmente na Lei da Ficha Limpa para ser arbitrariamente arrancado da disputa eleitoral, mas não deixarei que façam disto pretexto para aprisionar o futuro do Brasil. É diante dessas circunstâncias que tenho de tomar uma decisão, no prazo que foi imposto de forma arbitrária. Estou indicando ao PT e à Coligação 'O Povo Feliz de Novo' a substituição da minha candidatura pela do companheiro Fernando Haddad, que até este momento desempenhou com extrema lealdade a posição de candidato a vice-presidente".

 

Comentários

Últimas de Brasil