Operação Midas prende mais de 2,5 mil pessoas em ações pelo país

Durante dois dias, foram recuperados 103 veículos roubados e recolhidas 160 armas

Por Agência Brasil

Ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse que operação amplia a percepção de segurança das pessoas
Ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse que operação amplia a percepção de segurança das pessoas -

Brasília - A Operação Midas, a terceira coordenada pelo Sistema Único de Segurança Pública (Susp), cumpriu 901 mandados de busca e apreensão em 25 estados e no Distrito Federal, ao longo desta quarta e quinta-feira. Ao todo, foram presas 2.743 pessoas, dos quais 164 adolescentes, que foram apreendidos. Também foram recuperados 103 veículos roubados e recolhidos 160 armas nos dois dias de atividades, das quais participaram 10.249 policiais civis.

"Ao tirar 2.743 criminosos que cometeram, estavam para cometer e, às vezes, já tinham cometido diversos outros crimes, (a polícia) evidentemente combate a violência e amplia a percepção de segurança das pessoas”, afirmou o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann.

O ministro ressaltou que o combate aos assaltos às agências bancárias e caixas eletrônicos inibe o financiamento de outros crimes. De acordo com ele, até o fim do ano, a pasta deve articular mais três operações nacionais integradas de combate à criminalidade.

“Nós estaremos em breve fechando um acordo com a Febraban (Federação Brasileira de Bancos), que reúne todos os bancos brasileiros, para, conjuntamente, a partir de informações que vêm dos próprios bancos e da inteligência, avançarmos no sentido de combater esse crime que é, sem sombra de dúvida, base e gera recursos de giro para outros crimes e, por isso mesmo, tem que ter prioridade no seu combate", afirmou Jungmann.

30 mil comprimidos de ecstasy

O presidente do Conselho Nacional dos Chefes de Polícias Civis, o delegado Emerson Wendt, falou sobre a apreensão de 33.495 comprimidos de ecstasy em Goiás - Marcelo Camargo / Agência Brasil

Segundo o presidente do Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil, delegado Emerson Wendt, uma investigação prévia em Goiás levou à apreensão de 33.495 comprimidos de ecstasy, avaliada em mais de R$ 500 mil. "Embora seja de pequeno valor em termos de volume, é de grande valor pelo significado: a venda desse tipo de droga", disse Wendt.

"Em vários estados há, também, a correlação do crime patrimonial com o tráfico de drogas, uma relação que não se via 20 anos atrás justamente porque esses grupos acabam atuando de maneira organizada, faccionada, fazendo com que um delito fomente o outro", completou.

Galeria de Fotos

Ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse que operação amplia a percepção de segurança das pessoas Marcelo Camargo / Agência Brasil
O presidente do Conselho Nacional dos Chefes de Polícias Civis, o delegado Emerson Wendt, falou sobre a apreensão de 33.495 comprimidos de ecstasy em Goiás Marcelo Camargo / Agência Brasil

Últimas de Brasil