Presos denunciam militares do Exército por tortura em quartel

Homens contaram que foram espancados para que delatassem traficantes da Penha

Por O Dia

Comando da 1ª Divisão de Exército
Comando da 1ª Divisão de Exército -

Rio - Quatro presos em uma operação do Exército no Complexo da Penha, em agosto, denunciaram à Justiça que foram vítimas de tortura por militares dentro do quartel, na Vila Militar. Eles contaram a defensores públicos que foram espancados com pedaços de madeira e levaram chicotadas com fios elétricos dentro de uma sala vermelha na 1ª Divisão de Exército. A notícia foi divulgada pelo Jornal Extra.

A mãe de um dos presos afirmou, em entrevista ao jornal, que o filho é usuário de crack e não tem envolvimento com o tráfico. Ela disse ainda que seu filho foi preso por engano enquanto consumia drogas. Na época, oito homens foram presos acusados pelos militares de atirarem contra as forças de segurança e de portarem armas e drogas.

No relato obtido pela reportagem do Extra, o homem contou que foi agredido pelos militares, que estavam encapuzados. Eles exigiam que o preso delatasse chefes do tráfico e as perguntas eram seguidas de madeiradas e chicotadas com fios elétricos.

A Justiça determinou que o caso fosse apurado pelo Comando Militar do Leste. O órgão informou que não compactua com quaisquer ações que não estejam dentro do ordenamento jurídico. O comando esclareceu ainda que os militares não cometerem irregularidade ou ilícito penal durante a ocorrência.

Comentários

Últimas de Brasil