Bolsonaro manifesta condolências aos familiares das vítimas do massacre de Suzano

'Presto minhas condolências aos familiares das vítimas do desumano atendado ocorrido hoje na Escola Professor Raul Brasil, em Suzano, São Paulo. Uma monstruosidade e covardia sem tamanho. Que Deus conforte o coração de todos!', escreveu

Por O Dia

Bolsonaro classificou o massacre em Suzano como monstruoso e covarde
Bolsonaro classificou o massacre em Suzano como monstruoso e covarde -

Brasília - O presidente da República, Jair Bolsonaro, se manifestou na tarde desta quarta-feira sobre o massacre na Escola Estadual Raul Brasil em Suzano, na Região Metropolitana de São Paulo. Ele classificou a tragédia como monstruosa e covarde.

"Presto minhas condolências aos familiares das vítimas do desumano atendado ocorrido hoje na Escola Professor Raul Brasil, em Suzano, São Paulo. Uma monstruosidade e covardia sem tamanho. Que Deus conforte o coração de todos!", escreveu. 

O número de mortos no atentado à Escola Estadual Raul Brasil em Suzano, na Região Metropolitana de São Paulo, subiu para dez no início da tarde desta quinta-feira. Dois homens entraram na escola por volta das 9h30, mataram seis pessoas no local, feriram outras onze, das quais duas vieram a óbito após serem socorridas. Os dois atiradores teriam se matado no local após se depararem com o Grupo de Ações Táticas Especiais (GAT), segundo o secretário de segurança de São Paulo, João Camilo Pires de Campos, durante coletiva de imprensa. Os corpos seguem para o Instituto Médico-Legal da região.

Palácio do Planalto emite nota

Em nota, o Palácio do Planalto lamentou o massacre em uma escola estadual de Suzano (SP), que deixou ao menos dez mortos na manhã desta quarta-feira.

"Mais uma vez, nosso país é abalado por uma grande tragédia. O Governo Federal manifesta seu profundo pesar com os fatos ocorridos na cidade de Suzano, em São Paulo, apresentando suas condolências e sinceros sentimentos às famílias das vítimas de tão desumana ação", diz trecho da nota assinada pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.

No texto, o Planalto também se coloca à disposição do governo de São Paulo. "Ao Estado de São Paulo, colocamos nosso total apoio para auxiliar na apuração dos fatos."

 

Comentários