Mais Lidas

Doria quer exigir que famílias indenizadas por ataque em Suzano não processem o Estado

Para o governador, "não há necessidade" de judicialização. O pagamento de R$ 100 mil para as sete famílias será acertado por meio da prefeitura de Suzano

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Governador João Doria
Governador João Doria -

São Paulo - O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou que o estado vai pagar uma indenização às famílias das sete vítimas do ataque a uma escola de Suzano, onde duas funcionárias e cinco estudantes foram assassinatos na manhã de quarta-feira. No entanto, para indenizar em R$ 100 mil as famílias das sete vítimas do massacre em uma escola estadual de Suzano (SP), o governo paulista vai condicionar o pagamento a uma garantia de que as famílias não processem judicialmente o Estado pelo ocorrido.

O decreto com as condições será publicado nesta sexta-feira e o pagamento será feito em 30 dias, garantiu o governador em coletiva de imprensa nesta quinta-feira.

"Evidentemente, cada familiar pode tomar a decisão de receber (a indenização) ou preferir demandar judicialmente o Estado. Obviamente está dentro do seu direito", afirmou Doria.

O governador comentou que a indenização é uma atitude do governo e não depende de ações judiciais. "Não há necessidade disso (de judicialização)", comentou. O pagamento será acertado com as famílias por meio da prefeitura de Suzano.

Ao falar sobre o assunto, o governador paulista afastou a discussão sobre a flexibilização de armamento do ataque na escola. "Fazer o debate sobre o tema de posse e porte diante de uma situação traumática, trágica, como essa não acredito que seja o melhor momento", disse João Doria, ressaltando que a discussão sobre o tema precisa ser intensificada.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários