Na CCJ, deputados rejeitam por 41 votos a 18 inversão da ordem do dia

Requerimento pedia para que a ordem do dia fosse iniciada antes da leitura da ata da última reunião

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Presidente da CCJ da Câmara, Felipe Francischini
Presidente da CCJ da Câmara, Felipe Francischini -

Brasília - Deputados governistas sofreram uma derrota na primeira votação que enfrentaram nesta segunda-feira, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O colegiado rejeitou por 41 votos contra apenas 18 um requerimento que pedia a inversão dos trabalhos da comissão para que a ordem do dia fosse iniciada antes da leitura da ata da última reunião. A leitura da ata é um procedimento meramente burocrático, mas a questão foi usada pela oposição e por partidos do bloco da maioria para alongar os trabalhos da comissão.

A maioria dos partidos orientou por não inverter a ordem. Os deputados também rejeitaram um requerimento apresentado pela deputada Talíria Petrone (PSOL-RJ) que pedia que a ata fosse lida antes do início da ordem do dia e o expediente, depois.

O requerimento derrotado para inversão dos trabalhos foi apresentado pelo deputado general Girão (PSL-RN), que foi o primeiro a chegar nesta segunda-feira na fila para entrar na comissão.

Ele pedia para que a leitura de atas das sessões anteriores e expediente fosse feita depois do debate das matérias, pela ordem que está na pauta, ou seja, reforma da Previdência primeiro e depois a PEC do Orçamento impositivo.

Comentários