Capes bloqueia mais 2,7 mil bolsas de pesquisa após cortes na Educação

Órgão, ligado ao Ministério da Educação (MEC), diz que o bloqueio é necessário em função do 'contingenciamento' de recursos da pasta

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Ministro da Educação, Abraham Weintraub
Ministro da Educação, Abraham Weintraub -
Brasília - A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) anuncia nesta terça-feira, o bloqueio de mais 2.724 bolsas de mestrado e doutorado no País. O órgão, ligado ao Ministério da Educação (MEC), diz que o bloqueio é necessário em função do "contingenciamento" de recursos da pasta.

No mês passado, a Capes já havia anunciado o corte de 3.500 bolsas - depois da repercussão negativa com a comunidade acadêmica e científica, 1,2 mil foram reabertas em cursos com conceitos 6 e 7. Já na ocasião, Anderson Ribeiro Correa, presidente da Capes, anunciou que um segundo corte poderia ser feito.


O órgão diz que, nessa segunda etapa, serão bloqueadas as bolsas de cursos que foram avaliados consecutivos com nota 3 ou que tiveram redução de nota 4 para 3. "O critério foi estabelecido com o propósito de alinhar a concessão de bolsas no País à avaliação periódica da CAPES, preservando os cursos mais bem avaliados nos últimos 10 anos", diz em nota.

Foram congeladas 2.331 bolsas de mestrado, 335 de doutorado e 58 de pós-doutorado, totalizando 2.724 bolsas. O congelamento não afetará nenhum bolsista que atualmente recebe o benefício da Capes.

Comentários