Dono de empresa espanhola revela que foi contratado para disparar mensagens pró-Bolsonaro

Gravação com empresário espanhol, proprietário da Enviawhatsapps, uma plataforma de envio massivo no WhatsApp, foi obtida pela Folha de S.Paulo

Por iG

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro -
Rio - Uma plataforma espanhola que possibilita o envio massivo de mensagens por meio do WhatsApp foi contratada, no ano passado, para disparar mensagens favoráveis ao hoje presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), durante a sua campanha eleitoral. As informações foram reveladas pelo próprio dono da plataforma, em uma gravação obtida pelo jornal Folha de S.Paulo .
Durante a campanha eleitoral de 2018, empresas brasileiras contrataram uma agência de marketing na Espanha para fazer, pelo WhatsApp, disparos em massa de mensagens políticas a favor do então candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL).
A informação, que aparece em gravações obtidas pela Folha, é do espanhol Luis Novoa, dono da Enviawhatsapps.

Nos áudios, ele diz que “empresas, açougues, lavadoras de carros e fábricas” brasileiros compraram seu software para mandar mensagens em massa a favor de Bolsonaro.

Além de obter o áudio, a Folha confirmou posteriormente detalhes da conversa.

Se confirmada a contratação a favor de Bolsonaro, que teria sido feita por uma série de empresas brasileiras, não pelo candidato em si, o episódio deve ser configurado por crime eleitoral. Afinal, a doação de empresas para campanhas de caráter eleitoral é proibida no Brasil. Além disso, ações não declaradas de pessoas físicas também são ilegais no país.

O jornal conseguiu acesso a gravações em que o dono da espanhola Enviawhatsapps , Luis Novoa, conta que empresas brasileiras de diferentes setores teriam comprado o software desenvolvido por ele. Ainda segundo a publicação, Novoa diz não saber que o produto oferecido por ele estava sendo usado para campanha eleitoral, ou seja, para fins ilegais.

"Eles contratavam o software pelo nosso site, fazíamos a instalação e pronto (...) Como eram empresas, achamos normal, temos muitas empresas (que fazem marketing comercial por WhatsApp)", afirma o espanhol, segundo a Folha de S.Paulo. Perguntado durante a conversa gravada, ele ainda chega a afirmar "Eram campanhas para Bolsonaro".

Também de acordo com as gravações e com a reportagem, o empresário só percebeu que havia algo errado naquela situação quando suas linhas telefônicas foram cortadas pelo próprio WhatsApp com a alegação de mau uso da plataforma. Procurado, o aplicativo confirmou que cortou linhas da Enviawhatsapp.

Apesar da gravação, procurado pela Folha, Novoa nega que tenha trabalhado para políticos brasileiros. "Tanto faz se gravaram sem permissão uma conversa informal. Repito pela enésima vez: não trabalhamos com campanhas políticas no Brasil", disse ele à reportagem do jornal brasileiro, quando confrontado pela gravação que cita Bolsonaro.


Comentários