Padre Marcelo Rossi diz que nasceu de novo após empurrão e fala em 'raiva do demônio'

Religioso não segurou as lágrimas durante celebração da missa deste domingo

Por O Dia

Padre Marcelo Rossi durante a missa deste domingo
Padre Marcelo Rossi durante a missa deste domingo -
São Paulo - O padre Marcelo Rossi falou, na missa deste domingo, sobre o episódio em que foi empurrado de cima do palco por uma mulher em Cachoeira Paulista, São Paulo, há uma semana. O religioso não segurou as lágrimas e relembrou a forte dor que sentiu no momento.
O padre contou que considerou um "milagre" estar vivo, e que ficou "totalmente consciente" após o ataque. Ele também disse que só queria "entender o que estava acontecendo". O sacerdote, que passou um bom tempo tomando anti-inflamatórios no ano passado, contou que não gostaria de voltar a tomar remédios. 
"Hoje, graças a Deus, não tomo nada. Estou sem remédio. Foi uma dor muito forte. Só sei que, naquele momento, veio uma consciência tão forte que Deus estava me dando de novo o batismo. Nasci novamente. Se o inimigo pensava que seria a minha morte, deu um tiro no pé, porque aquilo se transformou em uma benção", disse padre Marcelo, que foi aplaudido pelos fiéis. 
O religioso também destacou que a vida "é uma passagem" e aconselhou os jovens a "nunca se perderem". A raiva do demônio de ver aqueles jovens louvando [em Cachoeira Paulista], o desespero deles [dos jovens] na hora que eu caí... Mas Deus me levantou, literalmente, e a alegria deles de me ver de pé... Por que eu estou falando isso? O mundo oferece vários caminhos, mas, se você conhece Jesus e Maria, tenha certeza que nunca vai se perder. O mundo pode até te derrubar, mas Deus vai te levantar", disse o padre, chorando. "Eu falei que não ia chorar, mas não tem jeito", completou. 
"Quem crê em milagres? Se você dúvida, está aqui", perguntou. "Nós somos a descendência que pisa na cabeça da serpente", finalizou.

Comentários