Araújo diz que Bachelet está 'muito mal informada' e Brasil vive democracia plena

Ministro das Relações Exteriores aproveitou críticas à filha de morto na ditadura para atacar a esquerda

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo
Ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo -
Rio - O chanceler Ernesto Araújo se manifestou no Twitter sobre as recentes declarações da Alta Comissária para os Direitos Humanos da ONU, Michelle Bachelet, acusando-a de estar "muito mal informada". De acordo com ele, a avaliação de Bachelet de que "o espaço democrático no Brasil está encolhendo muito" está equivocada pois "qualquer observador atento sabe que o Brasil vive uma democracia plena".

Araújo disse ainda que o que está encolhendo é o espaço da esquerda. "Talvez seja isso o que no fundo a preocupa", comentou o chanceler, que afirmou, ainda, que o espaço da esquerda está encolhendo porque cada vez menos brasileiros acreditam numa ideologia "que só nos deu corrupção e pobreza".

Bolsonaro

Na manhã desta quarta-feira, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que Michelle Bachelet está "defendendo direitos humanos de vagabundos". Ele também atacou o pai da ex-presidente do Chile, morto durante a ditadura militar chilena em decorrência de torturas sofridas no cárcere.

"Senhora Michelle Bachelet, se não fosse o pessoal do Pinochet derrotar a esquerda em 73, entre eles o seu pai, hoje o Chile seria uma Cuba", disse o presidente. Alberto Bachelet foi um brigadeiro-general da Força Aérea do Chile que se opôs ao golpe de 1973 do general Augusto Pinochet. Ele foi preso e submetido a tortura por vários meses até sua morte, em 1974.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários