Instituto Aço Brasil diz que recebeu com perplexidade anúncio de Trump

O instituto diz que a decisão prejudica a indústria produtora de aço americana, que, segundo a entidade, necessita dos semiacabados exportados pelo Brasil para poder operar as suas usinas

Por O Dia

O presidente Jair Bolsonaro, participa da abertura do Congresso Aço Brasil 2019
O presidente Jair Bolsonaro, participa da abertura do Congresso Aço Brasil 2019 -
Rio - O Instituto Aço Brasil divulgou uma nota de posicionamento sobre o anúncio do presidente americano Donald Trump de restauração de taxas sobre o aço e alumínio brasileiro e argentino. O instituto diz que a decisão prejudica a indústria produtora de aço americana, que, segundo a entidade, necessita dos semiacabados exportados pelo Brasil para poder operar as suas usinas.
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou por meio de sua conta no Twitter nesta segunda-feira, que vai restaurar tarifas sobre todos os aços e alumínio exportados do Brasil e da Argentina para os Estados Unidos. Ele diz que a medida é uma retaliação à "desvalorização maciça de suas moedas", o que , acrescenta, não é bom para os agricultores americanos.
"O Brasil e a Argentina têm presidido uma desvalorização maciça de suas moedas. o que não é bom para os nossos agricultores. Portanto, com efeito imediato, restaurarei as tarifas de todos os aços e alumínio enviados para os EUA a partir desses países", escreveu.
Trump disse que o Brasil e a Argentina estão se aproveitando da força do dólar e forçando a desvalorização do Peso e do Real.
"O Federal Reserve ( Banco Central americano) também deve agir para que os países, dos quais existem muitos, não tirem mais proveito de nosso dólar forte, desvalorizando ainda mais suas moedas. Isso torna muito difícil para nossos fabricantes e agricultores exportar seus produtos de maneira justa. Taxas mais baixas e afrouxar - Fed!", acrescenta.
O presidente Jair Bolsonaro disse nesta segunda-feira que, "se for o caso", conversará com o presidente dos EUA, Donald Trump, sobre o anúncio feito pelo norte-americano, de aumentar tarifas sobre aço e alumínio de Brasil e Argentina como forma de compensar a desvalorização da moeda destes países.
"Vou conversar com Paulo Guedes. Se for o caso ligo para o Trump. Tenho um canal aberto com ele", disse Bolsonaro. "Converso com Paulo Guedes e depois dou a resposta. Para não ter de recuar, tá ok?", completou Bolsonaro.
Confira a nota:
O Instituto Aço Brasil recebe com perplexidade a decisão anunciada hoje (02) pelo presidente dos EUA, Donald Trump, de restaurar as tarifas de importação de aço e alumínio provenientes do Brasil e da Argentina, sob o argumento de que estes países têm liderado uma desvalorização maciça de suas moedas, e que isso não é bom para os agricultores dos EUA.

O Instituto Aço Brasil reforça que o câmbio no País é livre, não havendo por parte do governo qualquer iniciativa no sentido de desvalorizar artificialmente o Real e a decisão de taxar o aço brasileiro como forma de "compensar" o agricultor americano é uma retaliação ao Brasil, que não condiz com as relações de parceria entre os dois países. Por último, tal decisão acaba por prejudicar a própria indústria produtora de aço americana, que necessita dos semiacabados exportados pelo Brasil para poder operar as suas usinas.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários