São Paulo já tem 15 mortes

Governador decreta isolamento em todo estado de terça-feira até 7 de abril. Ministério anuncia liberação de 5 milhões de testes rápidos

Por O Dia

Faixa na Avenida Paulista alerta sobre o coronavírus. Local, antes abarrotado de pessoas, agora está vazio
Faixa na Avenida Paulista alerta sobre o coronavírus. Local, antes abarrotado de pessoas, agora está vazio -

O número de mortes por coronavírus no Estado de São Paulo chegou a 15, segundo o Ministério da Saúde. Na parte da tarde mais uma morte foi confirmada em São Paulo e ainda não havia sido contabilizada pelo ministério. Para conter o avanço da pandemia, o governador João Doria (PSDB) determinou isolamento pelo período de 15 dias da próxima terça-feira até o dia 7 de abril. A medida abrange os 645 municípios do Estado de São Paulo. Em todo país, segundo atualização do Ministério da Saúde divulgada ontem, já são 1.128 casos suspeitos e 18 mortes.

Rebatendo o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, Doria afirmou que o Estado de São Paulo e a capital não terão colapso no sistema de saúde por causa da pandemia do coronavírus. Mandetta disse na sexta-feira que o sistema de saúde do país entraria em colapso até o fim de abril por causa do aumento rápido dos casos da doença.

"Eu não assimilei o tema de colapso em São Paulo. Posso garantir que não teremos colapso na saúde do estado e da cidade de São Paulo", disse o governador.

O coordenador da equipe que combate a pandemia do novo coronavírus no Estado de São Paulo, o infectologista David Uip, disse que o foco do estado é aumentar os leitos e melhorar a gestão e a prevenção para reduzir os números de infectados no Estado. "Minha avaliação é de que se não fizermos nada, aí teremos colapso."

5 MILHÕES DE TESTES

Em coletiva de imprensa, o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson Oliveira, disse prever um aumento no número de pacientes com sintomas leves que necessitem de testes nos próximos dias, por isso, há a previsão de distribuir 5 milhões de testes rápidos. O ministério já distribuiu 27 mil testes para todo país desde o início da pandemia.

O secretário-executivo do ministério, João Gabbardo dos Reis, anunciou que o órgão não irá mais divulgar números de casos suspeitos de coronavírus, conforme vinha sendo feito desde o início do surto no país. Serão divulgados apenas os dados de casos confirmados e óbitos.

 

Comentários