Justiça condena dono da Havan a pagar R$ 300 mil por postagens ofensivas à OAB

Luciano Hang havia chamado OAB de 'uma vergonha' e seus profissionais de 'porcos'

Por O Dia

Luciano Hang
Luciano Hang -
Rio - A 2ª Vara da Justiça Federal em Florianópolis condenou, nesta segunda-feira, o empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, a pagar R$ 300 mil de indenização por danos morais coletivos após publicações consideradas ofensivas à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e aos profissionais de advocacia em suas redes sociais.
A publicação, postada em suas redes sociais no dia 5 de janeiro de 2019, chamava a OAB de "uma vergonha" e seus profissionais de "porcos" e "bando de abutres". "A OAB é uma vergonha. Está sempre do lado errado. Quanto pior melhor, vivem da desgraça alheia. Parecem porcos que se acostumaram a viver num chiqueiro, não sabem que podem viver na limpeza, na ética, na ordem e principalmente ajudar o Brasil. Só pensam no bolso deles, quanto vão ganhar com a desgraça dos outros. Bando de abutres”, escreveu.
Em sua decisão, o juiz Leonardo Cacau Santos La Bradbury afirmou que as palavras de Hang constituíam um "manifesto ato ilícito de violação a direitos fundamentais, notadamente a honra, imagem e a dignidade de milhares de advogados, bem como da própria OAB, enquanto instituição de classe". Cabe recurso da decisão.

Galeria de Fotos

Luciano Hang Gabriela Biló/Estadão Conteúdo
Luciano Hang Gabriela Biló/Estadão Conteúdo
Luciano Hang ao lado do presidente Jair Bolsonaro Reprodução
Luciano Hang (à esquerda) e Jair Bolsonaro Reprodução de Vídeo
Luciano Hang colocou sua equipe jurídica à disposição de Gilberto Alves Júnior Reprodução
Luciano Hang não quis comentar as denúncias do ex-ministro Sergio Moro contra o presidente Bolsonaro reprodução
Luciano Hang, dono da Havan, divulgou vídeos a colaboradores, ameaçando demitir seus 15 mil funcionários dependendo do resultado das eleições Reprodução / Twitter

Comentários