Na mira da Lava Jato, José Serra é alvo de operação da PF por esquema com a Odebrecht

Pelo menos oito mandados de busca e apreensão são cumpridos contra o senador, que é investigado por lavagem de dinheiro internacional com dinheiro proveniente de obras

Por O Dia

Senador José Serra
Senador José Serra -
São Paulo - A Polícia Federal cumpre, na manhã desta sexta-feira, mandados de busca e apreensão envolvendo o ex-governador do estado de São Paulo, José Serra (PSDB) e a filha dele, Verônica Allende Serra. Os mandados são cumpridos pela força-tarefa da Lava Jato em São Paulo, a partir de uma denúncia apresentada pelo Ministério Publico Federal (MPF) também nesta sexta.

Segundo a PF, pelo menos oito mandados são cumpridos na investigação envolvendo o senador, em São Paulo e no Rio de Janeiro.

 

No Rio, as buscas foram realizadas em um edifício comercial localizado na rua General Venâncio Flores. Por conta das atividades suspensas, foi necessário chamar um chaveiro para que a Polícia Federal pudesse entrar no prédio.

Galeria de Fotos

Rio - 03/06/2020 - Operaçao da PF, de busca e apreensao em sala comercial no Leblon, do ex-Senador José Serra e sua filha,Veronica Serra. Foto: Estefan Radovicz / Agencia O Dia Byline Estefan Radovicz / Agencia O Di
Rio - 03/06/2020 - Operaçao da PF, de busca e apreensao em sala comercial no Leblon, do ex-Senador José Serra e sua filha,Veronica Serra. Na foto, a chegada do chaveiro para abrir a sala. Foto: Estefan Radovicz / Agencia O Dia Byline Estefan Radovicz / Agencia O Di
Rio - 03/06/2020 - Operaçao da PF, de busca e apreensao em sala comercial no Leblon, do ex-Senador José Serra e sua filha,Veronica Serra. Na foto, a fachada do prédio onde ficam as salas do ex - Senador. Foto: Estefan Radovicz / Agencia O Dia Byline Foto: Estefan Radovicz / Agenci
Rio - 03/06/2020 - Operaçao da PF, de busca e apreensao em sala comercial no Leblon, do ex-Senador José Serra e sua filha,Veronica Serra. Na foto, policiais deixando o prédio onde ficam as salas do ex - Senador.. Foto: Estefan Radovicz / Agencia O Dia Byline Estefan Radovicz / Agencia O Di
Rio - 03/06/2020 - Operaçao da PF, de busca e apreensao em sala comercial no Leblon, do ex-Senador José Serra e sua filha,Veronica Serra. Na foto, policiais saem com malotes do local onde ficam as salas do ex - Senador. Foto: Estefan Radovicz / Agencia O Dia Byline Estefan Radovicz / Agencia O Di
Rio - 03/06/2020 - Operaçao da PF, de busca e apreensao em sala comercial no Leblon, do ex-Senador José Serra e sua filha,Veronica Serra. Na foto, policiais saem com malotes do local onde ficam as salas do ex - Senador. Foto: Estefan Radovicz / Agencia O Dia Byline Foto: Estefan Radovicz / Agenci
Rio - 03/06/2020 - Operaçao da PF, de busca e apreensao em sala comercial no Leblon, do ex-Senador José Serra e sua filha,Veronica Serra. Na foto, policiais saem do local onde ficam as salas do ex - Senador. Foto: Estefan Radovicz / Agencia O Dia Byline Estefan Radovicz / Agencia O Dia

Serra teria utilizado a influência política dele como governador de São Paulo nos anos de 2006 e 2007 para receber dinheiro ilegal da Odebrecht proveniente de obras do Rodoanel Sul. Ele é investigado por lavagem de dinheiro internacional.

Segundo a investigação, Serra e sua filha abriram empresas no exterior, ocultando seus nomes, e por meio delas receberam os pagamentos que a Odebrecht destinou ao então governador de Sao Paulo. Neste contexto, eles realizaram numerosas transferências para dissimular a origem dos valores, e os mantiveram em uma conta de offshore controlada por Veronica Serra, de maneira oculta, até o final de 2014 - quando foram transferidos para outra conta de titularidade oculta, na Suíça.

Nesse esquema, podem ter sido lavados dezenas de milhões de reais ao longo dos últimos anos. Com as provas colhidas até o momento, o MPF também obteve autorização na Justiça Federal para o bloqueio de cerca de R$ 40 milhões na conta da Suíça.

A denúncia foi montada pelo Ministerio Publico Federal (MPF) a partir da delação de nove executivos ligados à Odebrecht, incluindo o ex-presidente do grupo, Marcelo Bahia Odebrecht.

Comentários