Por iG
Brasília - O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse nesta terça-feira (9), durante julgamento sobre a suspeição do ex-juíz Sergio Moro, que a Lava Jato de Curitiba é o "maior escândalo judicial da nossa historia”. 

“Pretendo contextualizar os fatos aqui narrados com a experiências históricas trazidas pela Operação Lava Jato. O presente voto não apenas descreve uma cadeia sucessivas de atos lesivos ao compromisso de imparcialidade. Ele explicita as condições do surgimento e funcionamento do maior escândalo judicial da nossa história”, disse o ministro.

Minutos antes do início da sessão, Fachin pediu ao presidente da Corte, ministro Luiz Fux, o adiamento do julgamento e defendeu que o plenário do STF analise o caso.

Por 4 votos a 1, a Turma rejeitou a tese de Fachin, que apontou perda de objeto do habeas corpus em favor de Lula, sob a alegação de que as condenações foram anuladas, de acordo com a decisão de ontem. Além de Fachin, compõem a Segunda Turma Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski, Cármen Lúcia e Kassio Nunes Marques.