Coronavac tem produção suspensa por falta de insumos
Coronavac tem produção suspensa por falta de insumosDivulgação
Por O Dia
São Paulo - O governador de SP, João Doria (PSDB), anunciou nesta quinta-feira, após reunião com o diretor-presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, que São Paulo receberá uma nova remessa de insumos de 3 mil litros para o processamento de mais 5 milhões de doses da vacina CoronaVac contra o coronavírus. A matéria-prima, vinda da biofarmacêutica Sinovac, na China, deve chegar até dia 20 de abril.
Assim, com a nova remessa, será possível que o Butantan complete a entrega de 46 milhões de doses até o final do mês para o Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde. Um segundo carregamento deverá chegar ainda em abril, com mais 3 mil litros, totalizando 10 milhões de doses em IFA (Insumo Farmacêutico Ativo).

Desde janeiro, o Butantan já disponibilizou 38,2 milhões de doses ao PNI, sendo responsável pelo fornecimento de mais de 80% das vacinas contra a covid-19 aplicadas em todo o Brasil.

Em janeiro, o Butantan entregou 8,7 milhões de doses. Em fevereiro, outras 4,85 milhões. Em março, o instituto acelerou a produção e liberou 22,7 milhões de vacinas para os brasileiros.

Neste momento, cerca de 3,2 milhões de vacinas encontram-se em processo de inspeção de controle de qualidade no complexo do instituto – parte integrante do processo produtivo – para serem entregues até o dia 19 de abril ao Ministério da Saúde.

A partir do recebimento de cada lote do IFA, o Butantan executa todo o processo de envase, rotulagem, embalagem e rigorosa inspeção dos frascos de vacinas, o que garante que todas as doses liberadas tenham o mesmo padrão de qualidade.