Bonde do Tigrão se diz contra a Reforma da Previdência de Guedes

Grupo segue repreendendo Zeca Dirceu (PT-PR) por chamar ministro de 'tchutchuca', mas se posiciona contra o regime de capitalização

Por *Felipe Rebouças

Bonde do Tigrão em apresentação interior de São Paulo
Bonde do Tigrão em apresentação interior de São Paulo -

Rio - "Tenho que fechar com o deputado, ele está defendendo o povo", diz Leandro Dionísio, o Leandrinho, membro-fundador do Bonde do Tigrão, sobre a fala do parlamentar Zeca Dirceu (PT-PR), durante bate-boca acerca da Reforma da Previdência com o ministro da Economia, Paulo Guedes, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O grupo, que completa 20 anos em 2019, voltou ao noticiário na última terça-feira após ter a letra de 'Tchu Tchuca' parafraseada por Dirceu.

O parlamentar afirmou que, ao apresentar atual proposta de reforma previdenciária, o ministro age como "tigrão" com os aposentados e como "tchutchuca" com "a turma mais privilegiada". A frase gerou polêmica e causou o fim do debate de mais de 6h de duração na Câmara. 

Inicialmente, em nota publicada nas redes sociais, o quarteto de funk se manifestou contra a menção de Dirceu porque as palavras ditas no decorrer da discussão teriam "desrespeitado o ministro", que "além de ser uma autoridade é um senhor de idade e merece respeito".

No entanto, Leandrinho, hoje com 38 anos, único remanescente da formação original do Bonde do Tigrão e autônomo desde a fundação do grupo, explicou que paga a previdência privada desde os 21, mas que conhece uma série de pessoas na própria família, todos moradores da Cidade de Deus, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio, que não têm condições de poupar dinheiro ao fim de cada mês. "Realmente, tem gente que não consegue nem colocar comida em casa, que dirá economizar dinheiro para pagar a aposentadoria", afirma o cantor.

Ele ainda pondera que, apesar de ter mudado de ideia sobre a questão envolvendo os políticos, não gostou da forma que o parlamentar fez referência ao hit do grupo. "Eu escrevi essa música em homenagem à minha sobrinha, que hoje tem 24 anos. É uma homenagem às mulheres. Ele não devia usar 'tchutchuca' como algo negativo. Mas entendo que foi no meio de uma discussão, ele devia estar de cabeça quente", diz o líder do grupo, ressaltando que a canção ressoou em Dirceu.

"Deve ter marcado época pra ele (Zeca Dirceu) pelo menos. Se não ele, alguém da família já dançou bastante nosso hit", concluiu Leandrinho, com bom humor.

Bonde do Tigrão vive

Mesmo longe dos holofotes nos últimos tempos, o Bonde do Tigrão continua trabalhando. Em outubro do ano passado, eles gravaram o DVD de 20 anos de carreira em São Carlos, no interior do estado de São Paulo, para um publico estimado em 17 mil pessoas, segundo a assessoria. O show contou com a participação especial de Tati Quebra Barraco e MC Sapão.

"Muitas pessoas não sabem, mas continuamos trabalhando. O público se acostumou a ver a gente no começo dos anos 2000 no Faustão, no Gugu. Mas seguimos mesmo distante das câmeras", conta Leandrinho.

Da formação original, Gustavo, Vaguinho e Thiaguinho se tornaram ex-integrantes. "Estão todos casados, viraram pais de família, assim como eu", brinca o último membro do quarteto original. Atualmente, ao lado de Leandro, compõem o grupo Maurício, o 'Teacher' , Carlos Magno, o Goia, Lúcio e Hildo.

*Estagiário sob supervisão de Thiago Antunes

Comentários