Acima, Joana Fomm, a Irmã Graça. No alto, cena com Evandro (Julio Andrade) e Carolina (Marjorie Estiano)
 - Globo/João Miguel Júnior
Acima, Joana Fomm, a Irmã Graça. No alto, cena com Evandro (Julio Andrade) e Carolina (Marjorie Estiano) Globo/João Miguel Júnior
Por O Dia

Rio - A terceira temporada de 'Sob Pressão' estreia deixando os personagens com os nervos à flor da pele por causa da greve de caminhoneiros, que impede o abastecimento do São Tomé Apóstolo, novo hospital da trama. Entre os casos afetados pelo problema está o de um garoto morador de uma área de comunidade que tem um espeto de churrasco cravado no tórax.

Para salvar o menino, Carolina (Marjorie Estiano), que ao lado do marido, Evandro (Julio Andrade), agora trabalha no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), entra a pé na comunidade, enfrenta a autoridade dos bandidos da região para resgatar o garoto e o leva ao São Tomé para dar sequência ao atendimento. Já Evandro parte para a estrada, onde acontece o bloqueio de caminhoneiros na tentativa de liberar a passagem do carregamento do insumo hospitalar.

"Escolhemos como pano de fundo do primeiro episódio um dia muito emblemático na história recente do Brasil: a greve dos caminhoneiros, o consequente desabastecimento da população e como isso afetou o sistema público de saúde. Sem fazer juízo de valor, colocamos nossos médicos heróis numa situação limite diferente", conta Lucas Paraizo, redator-final da produção.

Quem observa tudo atentamente é a Irmã Graça (Joana Fomm), Madre Superiora do São Tomé Apóstolo. Com a saúde debilitada, ela enxerga na dupla a oportunidade de reerguer o local, que opera com apenas 20% de sua capacidade, e convida Carolina e Evandro a comandarem a unidade.

"A Irmã Graça é uma pessoa muito especial. Ela é boa e está sempre ajudando as pessoas, cuidando dos doentes. É dessas pessoas que a gente pensa que quando morrer vai virar santa", explica Joana.

A atriz de 79 anos conta que não conhecia muito bem o roteiro e que tinha acabado de gravar uma série totalmente diferente, uma comédia. "Foi um pouco difícil, mas toda a equipe me recebeu muito bem. Eu já tinha trabalhado com a Drica Moraes e com o Bruno Garcia, e foi uma enorme satisfação estar com eles novamente. A Marjorie é uma atriz fantástica, e o Julio também é maravilhoso. Fui muito bem recebida por todos. Foi uma delícia fazer parte da série", derrete-se.

Além de Joana Fomm, a nova temporada conta ainda com Drica Moraes, Perfeito Fortuna e Ana Flavia Cavalcanti, entre outros. "Foram mais de 100 participações nesta temporada. Como a gente tinha um elenco muito afinado, as pessoas sempre foram muito bem acolhidas quando chegavam para gravar, e isso também contribui para o alto nível das participações especiais", explica o diretor artístico Andrucha Waddington.

O hospital

Um andar inteiro de um prédio, no Flamengo, na Zona Sul do Rio, foi adaptado para reproduzir de forma mais realista possível o ambiente semelhante ao de um hospital público do subúrbio da cidade. Dos quatro mil metros quadrados, foram utilizados 2,5 mil metros quadrados entre cenários construídos ou com alguma interferência de cenografia.

A principal mudança realizada foi a construção de um centro cirúrgico. A equipe transformou um cômodo em sala de cirurgia, de pequenos procedimentos, sala de recuperação pós-anestésica, assepsia e sala de material do centro cirúrgico.

Na composição dos cenários são usados ainda cerca de quatro mil objetos desde gaze, esparadrapo, soro, macas, cadeiras de roda e ambulância, até sangue cenográfico e equipamentos cirúrgicos específicos, além de imagens religiosas que foram incluídas no cenário da série.

 

Você pode gostar
Comentários