Museu da Maré recebe programação gratuita neste sábado para celebrar um ano de projeto de mulheres

Coletivona foi criado para mulheres que praticam seus trabalhos em áreas diversas, como artes cênicas, cinema, jornalismo, psicanálise, saúde, educação, entre outras

Por O Dia

Projeto Coletivona celebra um ano na Maré
Projeto Coletivona celebra um ano na Maré -
Rio - O “Coletivona” celebra seu primeiro ano neste sábado, a partir das 14h, no Museu da Maré, No Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio, com entrada gratuita. O projeto foi criado há um ano para mulheres que praticam seus trabalhos em áreas diversas, como artes cênicas, cinema, jornalismo, psicanálise, saúde, educação, entre outras, partindo das perguntas “como as mulheres podem inaugurar novos (re)conhecimentos a partir dos saberes que compartilham em casa, na rua, nas redes sociais, no mundo?”; “como conectar as produções de modos de se estar na vida?” e “o que é o foco que importa dar-a-ver no corpo da cidade hoje?”.

Os encontros começaram em dezembro de 2018 e continuaram, desde março de 2019, entendendo a Maré como o chão de fertilidade e fortaleza que impulsiona boas ações. “Ter o Museu da Maré como parceria é um privilégio neste percurso. Nele pudemos, ao longo de 2019, presenciar a riqueza mareense como força motriz da cidade onde moramos. A cada encontro e na manutenção da conversa real com as mulheres da Maré, principalmente com a produção intelectual brilhante da jornalista Gizele Martins, a criação de laços profissionais e afetivos se potencializou, expandindo o deslocamento que acreditamos que a população asfaltada, principalmente da zona sul branca, precisa fazer entrar na sua rotina”, analisa Natasha.

A chegada do projeto proporcionou à comunidade apresentação de espetáculos de teatro, dança, demonstrações de processos de criação artística, trocas sobre alimentação, clima, ancestralidade e educação pública comunitária. Também foram iniciados estudos para uma horta “coletivona” na Maré e o investimento na pesquisa prática para instaurar no Museu da Maré uma visita guiada performativa, com os textos sobre a Memória Mareense escritos por Gizele Martins, jornalista responsável pelo “O Cidadão”, jornal comunitário que circula há décadas no Conjunto de Favelas da Maré. A jornalista terá seu livro lançado dentro da programação.


“Chegamos neste dezembro com a certeza de celebrar nosso primeiro ano de convívio, continuidade e constituição. Até aqui, nos atravessaram experiências advindas de todos esses programas mensais. Estamos em processo, e assim desejamos permanecer. Não podemos parar este movimento”, afirma Natasha Corbelino, idealizadora do projeto.
Mas, afinal, o que é o projeto? “O projeto é constituir o projeto. A cada encontro, colocar na roda a afirmação de (re)conhecer e se conectar com a outra levando consigo a pergunta: quais são as frestas, capitaneadas por mulheres, para responder nas nossas práticas diárias o que e como é a constituição de um projeto no Brasil 2019/2020? O que e como é um projeto no Rio de Janeiro governado por uma política de extermínio da população negra favelada?”, provoca Natasha.
SERVIÇO:

Data: 07 de dezembro

Horário: 14h às 19h

Local: Museu da Maré: Av. Guilherme Maxwell, 26 – Maré - Rio de Janeiro

Entrada Franca
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários