Pablo Morais
Pablo MoraisLúcio Luna/Divulgação
Por Filipe Pavão*
Rio - Quantas histórias uma novela consegue contar aos telespectadores? “Gênesis”, a nova trama da Record, que estreia nesta terça-feira, às 21h, promete narrar a história da criação do mundo. Inspirada na Bíblia, vai desde Adão e Eva, até o período de escravidão do povo hebreu no Egito, passando por momentos, como a construção da Arca de Noé e a criação da Torre de Babel. Para conseguir tamanho feito, conta com um elenco de mais de 250 atores, como o jovem Pablo Morais, de 27 anos, que encara seu primeiro protagonista, o Ninrode.
Publicidade
“Ninrode foi o idealizador da Torre de Babel. Ele se tornou um rei e construiu a torre, que virou um grande símbolo para aquele povo. Ele quis construí-la para confrontar Deus e não morrer se viesse um próximo dilúvio. É por isso que aconteceu a divisão das línguas, a torre foi derrubada e houve a separação dos povos. Essa responsabilidade histórica é totalmente de Ninrode. Na novela, vai trazer muitas coisas: romance, lutas, caças. É um grande personagem que qualquer ator gostaria de fazer”, conta Pablo sobre o seu papel.
Depois de fazer novelas, como “Velho Chico” (2016) e “Segundo Sol” (2018), o ator não esconde a felicidade de receber o convite para ser um dos protagonistas da superprodução. Segundo Pablo, a novela tem sete fases e apresenta um olhar e metodologia de série, que vai trocando a paleta de cor, figurinos, locações e vegetações para evidenciar as respectivas mudanças de época da Bíblia. “É uma superprodução. A galera pode esperar um produto digno do momento contemporâneo, com planos cinematográficos, efeitos especiais e caracterização. Somando isso tudo, vira magia”, declara.
Publicidade
“Quando você está fazendo um protagonista, ele é o âncora, leva o elenco, a energia, a animação, o estudo, as trilhas, as vivências... É uma responsabilidade profissional mesmo, principalmente para mim, que faço o meu primeiro protagonista. Estou muito feliz porque sempre quis textos longos, cenas de corrida, de caça. Então, Ninrode veio perfeito para mim, veio como um presente de Deus”, diz.

Múltiplos talentos
Pablo ganhou mais visibilidade ao interpretar o Deco em “Malhação – Viva a Diferença” (2017), que está sendo reprisada atualmente na Rede Globo, no entanto, seus primeiros passos foram na moda, área que trabalha até hoje. Inclusive, segue modelando para marcas nacionais e internacionais. Além disso, ele estudou música erudita e desenvolve projetos independentes no cenário do rap, como apresentações em rodas de rima na cidade do Rio. Outro ofício dele é trabalhar com artes plásticas.
Publicidade
“Eu não consigo nem separar uma coisa da outra porque eu sou uma pessoa só. Quando estou escrevendo uma música, estou escrevendo crônicas sobre vivências. Na moda, o primeiro lugar que fui parar, tenho um conforto muito grande de estar fotografando. E na interpretação, você cria uma relação de confiança com a câmera. Uma coisa liga a outra. É muito natural”, diz Pablo, que começou a atuar na série “Suburbia” em 2012: “Eu trabalhava em Nova York quando recebi o convite de um teste. A partir disso, nunca mais parei de atuar. É magico você estudar uma persona e embarcar para contar uma história”.

Olho no futuro
Para Pablo, Ninrode veio como um presente, pois o papel de protagonista permite um espaço de criação mais amplo, além de desenvolver uma cumplicidade com outros artistas, como os autores, diretores e quem faz a caracterização. Ele afirma que o papel em “Gênesis” é só o começo.
Publicidade
“Pretendo me dar um tempo para estudar inglês, estudar em Nova York, fazer curtas para treinar câmera, edição e trilha sonora. Dentro da dramaturgia, tenho um pensamento de foco de evolução muito simples: ator, super ator e diretor, talvez”, revela Pablo, que ainda quer avançar na música. Ele pretende levar a força política e cultural do rap e do disco “Rock Santo”, que foi lançado em setembro passado, para festivais ao redor do país, se a pandemia permitir.
*Estagiário sob supervisão de Tábata Uchoa