Por adriano.araujo

Rio - Começam a pipocar iniciativas de greves entre os servidores do estado por conta da falta de pagamento. Na segunda-feira, o pessoal das carreiras de analista e agente de controle interno vão fazer assembleia para definir uma paralisação. A reunião será às 10h, em frente ao prédio da Secretaria de Fazendo, no Centro.

PARALISAÇÃO NA VIRADA DO ANO

Já o policiais civis têm assembleia na terça-feira, às 15h, para decidir uma paralisação de 24 horas na virada do ano. O encontro será na sede do sindicato, que fica na Rua do Riachuelo 191 – sobreloja, Centro. A categoria cobra o 13º salário, a incorporação da Gratificação de Delegacia Legal e o pagamento do RAS que não é feito desde abril.

PAGAMENTO SÓ A PARTIR DE 5 DE JANEIRO

O governo do estado divulgou ontem à noite um novo calendário de pagamento dos salários de novembro dos servidores que ainda não receberam. Esse grupo só vai começar a ter os vencimentos creditados nas contas correntes a partir do dia 5 de janeiro de 2017 com uma parcela de R$ 264. Desta vez, o calendário prevê cinco datas para o pagamento, diferentemente do anterior que tinha nove datas previstas. A segunda parcela, de R$ 342, deverá ser creditada no dia 9 de janeiro.

A terceira parcela, de R$ 221, vai cair nas contas dos servidores no dia 11 do mês que vem. Já a quarta parcela está programada para o dia 13 de janeiro. O valor a ser pago é de R$ 1.375. E por fim, no dia 17 de janeiro, segundo o calendário, o estado vai pagar o restante que falta

Em nota, a Secretaria de Fazenda informa que “o calendário só será cumprido se não houver bloqueios das contas do estado”. De acordo com a pasta, “entre os dias 5 e 27 de dezembro próximo, terão sido bloqueados R$ 550 milhões (no dia 27, mais R$ 20 milhões serão bloqueados)” pela União. 

A Fazenda informou que as novas parcelas foram programadas conforme a projeção de entrada de receita nos cofres do estado. O novo calendário vai quitar os vencimentos de 37% dos vínculos de servidores que ainda não foram pagos. Vale ressaltar que quase 25% do pessoal só terá o salário de novembro deste ano quitado no dia 17 do mes de janeiro de 2017.

ÂNIMOS ACIRRADOS

A suspensão das duas parcelas do pagamento de novembro — uma sairia hoje de R$370 e outra no dia 29, de R$270 — e a divulgação de que algumas categorias terão o 13º liberado na semana que vem acirrou ainda mais os ânimos do funcionalismo. Ontem, um grupo de gestores e executivos públicos da Secretaria Estadual de Planejamento ocupou o 13º andar do prédio da pasta em protesto.

FOLHA EM RISCO

É lá que funciona o Setor de Recursos Humanos do estado, responsável pela confecção da folha de pagamento dos servidores. Os mais exaltados chegaram a desligar alguns computadores, pondo em risco o processamento dos dados. A ideia era ocupar o andar e impedir o processamento de folhas até que o estado definisse como pagaria os servidores que ainda não receberam seus salários.

SITUAÇÃO DELICADA

Os manifestantes cobravam reunião com o secretário de Planejamento, Luiz Cláudio Gomes. Os servidores do setor no 13º andar foram liberados para evitar tumultos. Como Gomes não estava no gabinete, uma comissão foi recebida pelo subsecretário de Gestão de Pessoas, Edson Teramatsu, que ressaltou que o estado vive situação delicada.

RECURSOS BLOQUEADOS

Ontem, a União bloqueou R$ 129 milhões das contas do Tesouro pelo fato de o governo não ter quitado dívidas. A suspensão do pagamento das duas primeiras parcelas do calendário foi provocada justamente por esse novo bloqueio. Assim, 260 mil vínculos de servidores não terão o pagamento até o fim deste ano.

Você pode gostar