Ministros do TST contra a Reforma Trabalhista

Para magistrados, proposta é prejudicial

Por O Dia

Rio - Mais da metade dos ministros do Tribunal Superior do Trabalho (TST) é contra a Reforma Trabalhista do governo Temer. Ontem uma comissão de magistrados entregou ao presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), documento de seis páginas com críticas à proposta em tramitação na Casa.

Segundo o ministro Maurício Godinho Delgado, o documento, assinado por 17 dos 27 membros do TST, traz considerações jurídicas feitas com base em um estudo elaborado por esse grupo de ministros. Na avaliação da maioria dos ministros do TST, a proposta em discussão, já aprovada pela Câmara dos Deputados, “desestimula ou fecha de maneira muito forte” o acesso de pessoas simples e pobres do país à Justiça.

Investigação

Ontem a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) pediu investigação sobre a tramitação da reforma. Para ela, pode ter ocorrido fraude no andamento da matéria no Senado. A senadora alegou que foi concedida vista coletiva do projeto na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) sem nunca ter havido um só pedido prévio para isso.

A petista exige apuração do fato e, enquanto não há conclusão, que seja interrompida a tramitação da Reforma Trabalhista na Casa.

Últimas de Economia