Mais Lidas

MP suspende concurso com 1,3 mil vagas na Prefeitura de Macaé

Processo faria contratações temporárias imediatas e para formação de cadastro em funções de níveis Fundamental, Médio, Técnico e Superior

Por gabriela.mattos

Rio - O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) suspendeu, na noite desta segunda-feira, o concurso que oferecia 1,3 mil vagas na Prefeitura de Macaé. O processo seletivo tinha o objetivo de fazer contratações temporárias imediatas e para formação de cadastro em funções de níveis Fundamental, Médio, Técnico e Superior, nas áreas de saúde, educação, infraestrutura e desenvolvimento social. As inscrições começariam nesta quarta-feira.

Antes da ação civil pública, o órgão expediu recomendação ao município para que não realizasse o concurso divulgado e apresentasse justificativa para a contratação, indicasse a atual situação de contratação temporária, bem como informasse a previsão de realização de concurso público.

Para o MP, o processo seletivo da prefeitura "não preenche os requisitos normativos estabelecidos no art. 37, inciso IX, da Constituição Federal, bem como na Lei Municipal 2.951/2007, que cuidam da contratação temporária". Em caso de descumprimento, o juiz Wycliffe de Melo Couto, da Comarca de Macaé, fixou uma multa de R$ 100 mil ao município de Macaé e R$ 20 mil ao prefeito, Aluízio dos Santos Junior.

Em nota divulgada no site, na manhã desta terça-feira, a Prefeitura de Macaé disse que vai entrar com um recurso no Tribunal de Justiça, "por entender ser um procedimento eficiente, transparente e legal". "Havendo liberação por parte da Justiça para realização do processo seletivo, um informe com as novas datas de inscrição será amplamente divulgado", completou.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia