Mais Lidas

‘Pibinho’ tem alta tímida de 0,2%

Economia cresce mas é cedo falar em recuperação, aponta IBGE

Por karilayn.areias

Rio - O tímido crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todas as riquezas produzidas num país, ficou em 0,2% no segundo trimestre e chegou a R$ 1,6 trilhão. Os dados fazem parte de pesquisa divulgada ontem pelo IBGE. Com o ‘Pibinho’ registrado, o acumulado nos quatro últimos trimestres continua negativo em 1,4% em relação aos quatro trimestres imediatamente anteriores.

Henrique Meirelles comemorou o resultado tímido do 'Pibinho'Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

Com o resultado do segundo trimestre, o PIB fecha os primeiros seis meses do ano com “variação nula” em relação ao primeiro semestre de 2016. O número do Pibinho foi comemorado pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

“Esta retomada da atividade irá se fortalecer nos próximos meses. Entraremos em 2018 num ritmo forte e constante”, comentou o ministro.

A coordenadora de Contas Nacionais Trimestrais do IBGE, Rebeca Palis, foi taxativa: “O comércio, pelo lado da oferta, e o consumo das famílias, pelo lado da demanda, foram as principais influências para a variação positiva de 0,2% do PIB”.

No entanto, ela ressalta a necessidade de se olhar também para outras comparações: “No primeiro semestre, o consumo das famílias ainda está em queda (-0,6%) ainda que menos intensa do que nos trimestres anteriores”.

A coordenadora admitiu ainda que a economia brasileira está em um ciclo de melhora, mas que isso não se configura uma recuperação. 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia