No Pan-Americano, Ygor Coelho fatura ouro inédito para o Brasil no badminton

Criado no Morro da Chacrinha, carioca de 22 anos faz história em Lima

Por O Dia

O brasileiro Ygor Coelho vibra em quadra após vencer o canadense Brian Yang e conquistar a medalha de ouro
O brasileiro Ygor Coelho vibra em quadra após vencer o canadense Brian Yang e conquistar a medalha de ouro -
Lima - Ygor Coelho, nascido e criado no Morro da Chacrinha, fez história nesta sexta-feira nos Jogos Pan-Americanos de Lima ao conquistar um ouro inédito para o Brasil no badminton. O carioca de 22 anos venceu na final o canadense Brian Yang por 2 sets a 0, parciais 21/19 e 21/10. O país ainda quatro bronzes no torneio: Fabrício e Francielton Farias, nas duplas masculinas; Fabiana Silva/Tamires Santos e Sâmia Lima/Jaqueline Lima, nas duplas femininas; e Jaqueline Lima e Fabrício Farias nas duplas mistas.
Ygor Coelho começou no badminton ainda pequeno no projeto social de seu pai no Morro da Chacrinha, na Zona Oeste. Hoje ele vive na Dinamarca, onde tem o suporte da treinadora local Nadia Lyduch.
“O que passou pela minha cabeça foi toda minha dificuldade, toda minha história no esporte. Ainda não caiu a ficha. Agarrei muito bem as minhas oportunidades, lutei, fui para fora do país, lesionei neste ano... Conquistar esse ouro foi sensacional! Agradeço toda a estrutura do COB, Alessandra, minha psicóloga, que me deu muitos trabalhos mentais, deixou minha cabeça pronta para essa conquista", afirmou Ygor.
Já na Praia de Punta Rocas, o Brasil conquistou um ouro com Lena Guimarães e uma prata com Vinnicius Martins, na estreia do stand up paddle (SUP) nos Jogos Pan-Americanos.
Lena Ribeiro estava há cerca de 30 segundos atrás de Candice Appleby, dos Estados Unidos, disputando a segunda posição com a portorriquenha Mariecarmen Rivera, faltando poucos metros para o fim da prova, quando uma forte onda derrubou todas as três.
“Eu fui pro tudo ou nada no fim. Uma onda me capotou. Quando cheguei na areia, achei que era a última, mas não vi ninguém. Foi quando me receberam me dando os parabéns que eu me dei conta que eu era a primeira. Estou muito feliz”, disse Lena, de 38 anos, moradora de Cabo Frio.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários