Urubu quer bicar a Raposa em Belo Horizonte

Fla encara duelo com o Cruzeiro como chance de disparar na liderança do Brasileiro e abrir vantagem para a maratona que terá pela frente

Por

Arrascaeta e Filipe Luís conversam em treino do Flamengo
Arrascaeta e Filipe Luís conversam em treino do Flamengo -

O Flamengo tem percorrido muito bem a trilha tortuosa que é o Campeonato Brasileiro. Líder, com 42 pontos, o clube entende que o momento é de se isolar na frente, para que os que vêm atrás o percam de vista. Outubro será desgastante: Jorge Jesus dividirá as atenções com as semifinais da Libertadores e ainda terá os vários desfalques por conta dos amistosos da Seleção. Hoje, o Rubro-Negro trilha o caminho das Minas Gerais para enfrentar o Cruzeiro, às 17h, em Belo Horizonte.

Voltar com três pontinhos na mochila nesta abertura do returno seria fundamental para o objetivo do Flamengo na competição. O contexto é favorável, já que o adversário amarga uma péssima fase.

Relação conturbada

O time mineiro está com problemas de convivência entre jogadores e o técnico Rogério Ceni, e ocupa a zona de rebaixamento (17º, com 28 pontos). No jogo de ida, no Maracanã, vitória rubro-negra por 3 a 1.

O Flamengo jogará 15 partidas em 52 dias, a partir de hoje. No mês que vem, a batida é ainda maior. Nos dias 2 e 23, o Rubro-Negro vai encarar o Grêmio pelas semifinais da Libertadores. Gabigol, Rodrigo Caio, dupla com a seleção brasileira, Arrascaeta, com a do Uruguai, e Berrío, com a da Colômbia, serão baixas nos jogos contra Atlético-MG e Athletico-PR. Somando com o cansaço natural da reta final da temporada, a certeza é que Jorge Jesus terá que superar o desafio do desgaste e das ausências.

As torcidas de Flamengo e Cruzeiro, historicamente, nutriam uma relação de cordialidade e até de amizade — cruzeirenses eram bem recebidos no Rio, e rubro-negros também em Belo Horizonte. Em 2017, os dois clubes fizeram até uma ação na final da Copa do Brasil. O Rubro-Negro chegou a chamar o adversário de 'maior de Minas'. A relação, no entanto, ficou estremecida com o clima tenso entre as diretorias. No início do ano, o ex-vice-presidente da Raposa Itair Machado atacou os dirigentes do clube da Gávea pela negociação com Arrascaeta — disse que, mesmo com dinheiro, o clube ficaria no 'cheirinho'.

Os rubro-negros que irão ao Mineirão reclamaram. O ingresso visitante está R$ 120, e R$ 4 para os donos da casa.

Comentários