Vasco rebate acusação do presidente do Flu de não repassar renda da final da Taça GB

Clássico foi marcado pela disputa pelo Setor Sul do Maracanã e motivou confusão antes de a bola rolar

Por O Dia

Pedro Abad, presidente do Flu
Pedro Abad, presidente do Flu -
Rio - Em nota oficial, o Vasco rebateu a acusação do presidente do Fluminense, Pedro Abad, de não ter repassado ao clube o pagamento referente à final da Taça Guanabara. No início da tarde desta sexta-feira, o mandatário tricolor revelou a 'dívida' durante a audiência pública realizada na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), que investiga possíveis irregularidades na gestão do futebol carioca e no Maracanã.
"O Vasco até o momento não repassou a verba que competia ao Fluminense, o que demonstra o ânimo de não cumprir o contrato existente entre o Fluminense e o consórcio Maracanã", disse Abad, ao 'Gbloboesporte.com'.
Confira na íntegra a nota oficial divulgada pelo Vasco sobre as acusações de Pedro Abad:
"A renda que o borderô do jogo Vasco x Fluminense acusou não reflete a realidade, visto que o Club de Regatas Vasco da Gama, posteriormente à realização do clássico, abriu suas bilheterias para devolver o valor dos ingresso aos torcedores que não compareceram ao Maracanã para assistir à final da Taça Guanabara.
 
 
Vale lembrar: foi o próprio Fluminense que ajuizou uma ação para que o jogo fosse realizado com portões fechados, causando evidentes prejuízos ao público, em geral, e ao Vasco enquanto mandante.
 
 
Mesmo sem ter qualquer obrigação legal neste sentido, a Diretoria do Clube assumiu o compromisso de ressarcir todos os torcedores, tanto do Vasco quanto do Fluminense, que não conseguiram entrar no estádio".
O polêmico clássico, disputado em 17 de fevereiro, foi marcado pela confusão generalizada nos arredores do estádio após uma disputa travada entre os clubes pelo direito do lado direito da arquibancada. Com mais de 18 mil ingressos vendidos, o plantão do judiciário determinou, na madrugada daquele domingo, a realização da final com os portões fechado.
Milhares de torcedores partiram para o Maracanã na esperança de a decisão cair. Com a bola rolando, o Vasco conseguiu derrubar a liminar e os portões foram abertos no fim do primeiro tempo, depois do conflito com policiais.
Na reunião Alerj foi determinada a quebra de sigilo da empresa responsável pelo fornecimento de alimentos e bebidas no Maracanã. Estiveram presentes representantes de Flamengo, Fluminense e Botafogo, porém, nenhum do Vasco ou do consórcio que administrava o estádio.

Comentários