Líderes das duas Coreias fazem reunião surpresa

Dirigentes trataram da retomada de relações e abordaram encontro com Trump

Por O Dia

North Korea's leader Kim Jong Un (L) and South Korea's President Moon Jae-in (R) hug during a signing ceremony near the end of their historic summit at the truce village of Panmunjom on April 27, 2018.
The leaders of the two Koreas held a landmark summit on April 27 after a highly symbolic handshake over the Military Demarcation Line that divides their countries, with the North's Kim Jong Un declaring they were at the
North Korea's leader Kim Jong Un (L) and South Korea's President Moon Jae-in (R) hug during a signing ceremony near the end of their historic summit at the truce village of Panmunjom on April 27, 2018. The leaders of the two Koreas held a landmark summit on April 27 after a highly symbolic handshake over the Military Demarcation Line that divides their countries, with the North's Kim Jong Un declaring they were at the "threshold of a new history". / AFP PHOTO / Korea Summit Press Pool / Korea Summit Press Pool -

Seul - Os líderes das duas Coreias se encontraram neste sábado em reunião surpresa. O sul-coreano Moon Jae-in e o norte-coreano Kim Jong-Un estiveram por duas horas na zona desmilitarizada para tratar das retomadas de relações entre os dois países. O encontro também serviu para abordar uma possível reunião entre Kim e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

O gabinete presidencial da Coreia do Sul informou, após a reunião, que Moon e Kim se encontraram no lado norte da zona desmilitarizada. Eles trocaram opiniões sobre como poderão realizar, com sucesso, o encontro entre Trump e Kim, segundo agências de notícias internacionais.

A reunião surpresa é a mais recente reviravolta no movimento de aproximação entre os dois países em uma série de manobras diplomáticas, enquanto os EUA e a Coreia do Sul tentam conter as ambições nucleares da Coreia do Norte.

O encontro ocorreu após a cúpula intercoreana de 27 de abril que levou os dos líderes a se encontrarem no lado sul da linha que divide a aldeia intercoreana de Panmunjom. Na ocasião, os dois assinaram declaração que prometia o fim da guerra e hostilidades entre os dois lados. No documento, os líderes se comprometeram em trabalhar na direção de uma península coreana livre de armas nucleares e também encerrar formalmente a Guerra da Coreia, ocorrida entre 1950 e 1953.

Uma das fotos divulgadas mostrou Moon e Kim se abraçando após o encontro em Tongilgak, o prédio do Norte na aldeia da trégua. Eles estavam acompanhados pelo chefe da inteligência sul-coreana, Suh Hoon, e seu colega norte-coreano, Kim Yong Chol, encarregado dos assuntos intercoreanos.

De olho na reunião dia 12

As conversas ocorreram apenas alguns dias após Trump ter abruptamente descartado uma cúpula planejada entre ele Kim em Cingapura em 12 de junho - apenas para dizer, um dia depois, que a cúpula ainda pode acontecer.

"Os dois líderes trocaram opiniões francas sobre a implementação da Declaração de Panmunjom de 27 de abril e o sucesso da cúpula norte-coreana", divulgou Yoon Young-chan, porta-voz do gabinete presidencial da Coreia do Sul, sem confirmar como a reunião secreta foi organizada ou qual lado a solicitou.

Moon, que retornou a Seul na manhã de quinta-feira depois de se encontrar com Trump em Washington no começo da semana, em tentativa de manter a cúpula, agendada para 12 de junho em Cingapura. Trump disse na sexta-feira que Washington que teve "conversas produtivas" com Pyongyang sobre o restabelecimento da reunião, um dia depois de cancelá-la.

Comentários

Últimas de Mundo & Ciência