Após mortes por 'fake news', WhatsApp restringe encaminhamento de mensagens

'Na índia, removemos o botão de encaminhamento rápido ao lado das mensagens de mídia', diz comunicado da empresa

Por O Dia

WhatsApp
WhatsApp -

Estados Unidos - O Facebook, dono do aplicativo de mensagens WhatsApp, anunciou que passará a restringir o número de vezes que os usuários podem encaminhar uma mensagem. A decisão aconteceu após correntes falsas de WhatsApp provocarem uma série de linchamentos e mortes na Índia. 

Até o momento, quem utiliza o WhatsApp pode enviar um mesmo conteúdo simultaneamente e para quantos contatos quiser. Segundo a empresa, esse tipo de coisa estimula o compartilhamento de informações falsas. 

"Hoje, estamos lançando um teste para limitar o encaminhamento que será aplicado a todos que usam o WhatsApp. Na Índia, onde as pessoas enviam mais mensagens, fotos e vídeos do que qualquer outro país do mundo, também testamos um limite de cinco chats simultâneos e removemos o botão de encaminhamento rápido ao lado das mensagens de mídia (como fotos, gifs e vídeos)", diz um post divulgado pela empresa na noite de quinta-feira. 

Ainda não se sabe se as restrições ao encaminhamento de mensagens também serão aplicadas fora da Índia. Esta é a terceira tentativa do Facebook de acabar com as informações falsas veiculadas através de sua plataforma. 

Recentemente, o WhatsApp lançou, globalmente, um recurso que rotulará as mensagens que são encaminhadas e não escritas pelo próprio remetente. Também houve a adição de um recurso que permite aos administradores de um grupo controlas quem pode postar mensagens. 

Últimas de Mundo & Ciência