Dois bilhões rastreados

Google e MasterCard teriam traçado acordo que expõe clientes e usuários

Por

arte -

O Google teria pagado milhões de dólares à MasterCard, segunda maior rede de cartões de crédito dos Estados Unidos, para obter acesso aos dados dos dois bilhões de clientes que utilizam a bandeira para fazer compras, noticiou a agência Bloomberg, uma das mais importantes na área de notícias corporativas.

O monitoramento começou a ser investigado através de transações milionárias da MasterCard, as quais o Google financiou.

No ano passado, alguns clientes de publicidade do Google teriam acessado uma nova ferramenta para medir quantos usuários realizaram compras após visualizar um anúncio veiculado pela plataforma de busca. A polícia federal norte-americana (FBI) acompanha o caso.

Porém, grande parte dos dois bilhões de titulares da MasterCard não está a par do rastreamento de seus dados pessoais, porque as companhias nunca avisaram nada sobre o acordo.

"O resultado é poderoso: o Google sabe que pessoas clicaram em anúncios e agora pode contar a publicitários que esta atividade resultou em compras reais nas lojas", diz o artigo da Bloomberg.

"Funciona assim: uma pessoa procura por 'batom vermelho' no Google, clica em um anúncio, navega na Web, mas não compra nada. Mais tarde, ela entra em uma loja e compra um batom vermelho com seu Mastercard. O anunciante que veiculou o anúncio recebe um relatório do Google. Isso somente se o internauta estiver conectado a uma conta do Google online e fizer a compra em 30 dias depois de clicar no anúncio", diz a agência.

 

Comentários

Últimas de Mundo & Ciência