Príncipe William disse que não se importaria se tivesse filho gay

William, de 37 anos, é o segundo na linha sucessória ao trono britânico, depois de seu pai, príncipe Charles, de 70 anos

Por AFP

Príncipe William em visita ao Albert Kennedy Trust, uma associação LGTB britânica que ajuda jovens excluídos
Príncipe William em visita ao Albert Kennedy Trust, uma associação LGTB britânica que ajuda jovens excluídos -
Londres - O príncipe William, neto da rainha Elizabeth II da Inglaterra, afirmou nesta quarta-feira que "não teria qualquer problema", se um de seus filhos fosse homossexual, mas disse que se preocuparia com a pressão que ele pudesse sofrer por isso.

William e sua mulher, Kate, têm três filhos: o príncipe George, de cinco anos; a princesa Charlotte, de quatro; e o príncipe Louis, que completou um ano em abril.


William, de 37 anos, é o segundo na linha sucessória ao trono britânico, depois de seu pai, príncipe Charles, de 70 anos. O pequeno George é o terceiro.

O príncipe fez esses comentários durante uma visita ao Albert Kennedy Trust, uma associação LGTB britânica que ajuda jovens excluídos, devido à sua orientação sexual.

Durante o encontro, quando um jovem gay lhe perguntou como reagiria se um de seus filhos fosse homossexual, ele respondeu que "não teria qualquer problema" com isso.

"Eu só me preocuparia com o modo que, especialmente pelo papel que meus filhos têm, isso seria visto e interpretado", afirmou, garantindo que ele e Kate "conversaram muito sobre isso" para ter certeza de que estão "preparados".

"Apoio plenamente qualquer decisão que eles tomarem, mas me preocupa, do meu ponto de vista como pai, as barreiras, palavras de ódio, perseguição, tudo isso, e a discriminação que possa sofrer", acrescentou.

Nenhum membro da família real britânica se declarou publicamente gay até hoje.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários