Brasileiros identificaram asteroide que passou 'muito perto' da Terra

2019 OK não havia sido detectado por grandes centros de observação mundiais

Por REVISTA PLANETA

Asteroide passou 'perto' da Terra
Asteroide passou 'perto' da Terra -

Rio - Na noite de quarta-feira, o astrônomo amador e engenheiro civil Cristóvão Jacques, diretor sócio do Observatório Sonear, que fica em Oliveira, a 160 de Belo Horizonte (MG), detectou um asteroide que ainda não havia sido observado por nenhum grande centro astronômico.

O engenheiro alertou imediatamente a União Astronômica Internacional (UAI). Ele foi a primeira pessoa a rastrear o corpo celeste, já que o 2019 OK não tinha sido detectado com antecedência pelos grandes centros de observação mundiais.

O Asteroid 2019 OK mede cerca de 50 e 130 metros de diâmetro passou a uma distância de 71.400 quilômetros da Terra. Muito perto, em termos espaciais. A Lua, por exemplo, fica a 384 mil km de distância do nosso planeta.

Ele é o maior corpo celeste a passar tão perto da Terra neste ano. O Asteroid 2019 OK completa uma volta ao redor do Sol a cada 2,7 anos e passará novamente próximo à Terra em 2035 e 2086.

Segundo Cristóvão Jacques, se o asteroide caísse na Terra, provavelmente seria no Oceano Índico e poderia causar um tsunami em alguma ilha. Ou, se caísse em terra firme, poderia destruir uma cidade.

Desde 2014, os pesquisadores do Observatório Sonear identificaram 32 asteroides e sete cometas que passaram perto da Terra.

Comentários