Espetáculo! A lua 'pendurada' nos anéis de Saturno

Com 1.062 quilômetros de diâmetro, Tétis foi descoberta em 1684 pelo astrônomo Giovanni Cassini

Por REVISTA PLANETA

Tal como uma gota de orvalho pendurada em uma folha, a lua Tétis parece estar presa aos anéis A e F de Saturno
Tal como uma gota de orvalho pendurada em uma folha, a lua Tétis parece estar presa aos anéis A e F de Saturno -

Tal como uma gota de orvalho pendurada em uma folha, a lua Tétis parece estar presa aos anéis A e F de Saturno a partir da perspectiva mostrada nesta imagem da sonda Cassini, lançada em 1997 pela Nasa em parceria com a Agência Espacial Europeia (ESA) e a Agência Espacial Italiana (ASI).

Por mais de uma década, a Cassini compartilhou as maravilhas de Saturno e sua família de luas geladas. Ela nos levou a conhecer mundos surpreendentes, em que rios de metano correm para um mar de metano e jatos de gelo e gás estão lançando material no espaço a partir de um oceano de água líquida que pode abrigar os ingredientes para a vida como a que conhecemos na Terra.

O último contato com a Cassini foi em 15 de dezembro de 2017. Depois de um sobrevoo de Titã, a maior lua de Saturno, a nave mergulhou na atmosfera do planeta.

Com 1.062 quilômetros de diâmetro, Tétis foi descoberta em 1684 pelo astrônomo Giovanni Cassini. Tal como as partículas dos anéis, esse satélite natural é composto principalmente de gelo. O espaço no anel A através do qual Tétis é visível é a Brecha de Keeler, mantida limpa pela pequena lua Dafne (não visível na foto).

A perspectiva da foto nos mostra o hemisfério de Tétis voltado para Saturno. A imagem foi captada em luz visível em 14 de julho de 2014.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários