Assange revela que teve dois filhos com advogada durante asilo na embaixada

'Apaixonar-se em um contexto em que todos tentam destruir sua vida foi uma espécie de ato de rebelião', afirmou a companheira do fundador do Wikileaks

Por AFP

Julian Assange, fundador do WikiLeaks
Julian Assange, fundador do WikiLeaks -
Londres - O fundador do Wikileaks, Julian Assange, teve dois filhos com uma advogada durante o período em que ele era refugiado na embaixada do Equador em Londres, informou o jornal britânico Mail na edição deste domingo.

O australiano, que os Estados Unidos querem julgar espionagem, é pai de dois filhos com Stella Morris, 37, advogada de origem sul-africana, de acordo com o tabloide, que garantiu que o mais velho dos filhos, Gabriel, tem dois anos de idade, e o caçula, Max, um ano.

O jornal publicou fotos de Assange com seus filhos e uma entrevista com Morris, que relata que se apaixonou pelo fundador do Wikileaks há cinco anos e que o casal planeja se casar.

A companheira de Assange confirmou a informação em um vídeo de 12 minutos publicado pelo WikiLeaks no Twitter.

"Apaixonar-se, em um contexto em que todos tentam destruir sua vida, foi uma espécie de ato de rebelião", explica, comparando sua história com a que ocorre "em tempos de guerra".
A advogada decidiu revelar a existência dos filhos, Gabriel e Max, porque "teme que a vida de Assange esteja em perigo se ele permanecer em Belmarsh", a prisão de alta segurança de Londres, onde ele está atualmente detido devido à nova pandemia de coronavírus, informou o jornal.

A justiça britânica, no final de março, recusou-se a libertar Assange sob controle judicial, alegando que havia "sérias razões para acreditar" que ele pode não comparecer em convocações futuras.

No Twitter, o Wikileaks observou que a companheira de Assange, "mãe de dois filhos pequenos, insta o governo do Reino Unido a libertá-lo e a outros prisioneiros, pois o #coronavírus está causando estragos nas prisões".

A justiça britânica suspendeu até 18 de maio o exame do pedido de extradição do fundador do Wikileaks para os Estados Unidos, país que pretende processá-lo pela publicação de um grande número de documentos confidenciais.

Segundo o jornal britânico, Assange e sua advogada começaram seu relacionamento em 2015, quando ela visitou seu cliente na embaixada, e o primeiro filho foi concebido no ano seguinte.
Assange até acompanhou o nascimento em Londres dos dois filhos em vídeo e pôde ver o mais velho, Gabriel, dentro da embaixada, para onde a criança foi levada secretamente, acrescentou o jornal.

As duas crianças são britânicas e já visitaram o pai na prisão, de acordo com o Mail.

Jennifer Robinson, uma das advogadas de Assange no Reino Unido, também confirmou à AFP que Assange e Morris formaram uma família.

Ela explicou que Morris já o havia declarado perante a justiça britânica em março, em uma das tentativas de libertar o fundador do WikiLeaks sob fiança.

"Apesar de sua declaração sobre sua família e evidências médicas dos sérios riscos à saúde de Assange, o juiz rejeitou a libertação", disse.

No Twitter, o Wikileaks observou que a companheira de Assange, "mãe de dois filhos pequenos, insta o governo do Reino Unido a libertá-lo e a outros prisioneiros, pois o #coronavírus está causando estragos nas prisões".

Comentários