Greve dos caminhoneiros provoca cancelamento de 5,7% dos voos no país

Percentual representa 70 viagens canceladas

Por Agência Brasil

Aeroporto
Aeroporto -

Brasília - Até as 20h desta sexta-feira, a greve dos caminhoneiros havia provocado o cancelamento de 70 voos no país. O número representa 5,7% das viagens programadas para o dia. As informações são da Infraero, que monitora o movimento nos aeroportos brasileiros.

No mapeamento da situação de voos do dia disponibilizado pela empresa, estavam previstos 1.219 voos para esta sexta. Deste total, 966 (79,2%) estavam no horário, 161 (13,2%) estavam atrasados e 22 (1,8%) estavam atrasados no momento em que a aferição foi realizada.

O maior número de voos cancelados foi da Azul, com 32 (45%) viagens não realizadas. Em seguida vêm a TAM, com 29 (41%), Gol, com 5 (7%), e Avianca, com 3 (4%). Os cancelamentos afetaram somente voos domésticos. A Infraero não registrou problema deste tipo com viagens internacionais.

Em relação aos atrasos, a companhia aérea com maior número de voos nesta situação é a TAM, com 54 (33%), seguida pela Gol, com 38 (23%), Azul, com 36 (22%), e Avianca, com 29 (18%). Entre as viagens internacionais, apenas uma estava fora do horário, da Azul.

Abastecimento

Homens da Polícia do Exército garantem saída de caminhão-tanque da Reduc, na Baixada Fluminense - Vladimir Platonow / Agência Brasil

Mais cedo, a Infraero divulgou nota sobre a situação de combustível dos aeroportos brasileiros. No comunicado, ela afirma que está monitorando o abastecimento de caminhões para fornecer combustível às aeronaves e que está em diálogo com órgãos públicos para garantir a chegada dos caminhões, bem como com as companhias aéreas.

A Infraero reforçou a necessidade de passageiros entrarem em contato com as respectivas linhas aéreas para consultá-las sobre a situação de seus voos. A recomendação também foi dada pela Agência Nacional de Aviação Civil, em nota divulgada hoje.

Galeria de Fotos

Aeroporto José Cruz / Agência Brasil
Homens da Polícia do Exército garantem saída de caminhão-tanque da Reduc, na Baixada Fluminense Vladimir Platonow / Agência Brasil

Últimas de Brasil