Onyx minimiza saída de Levy do BNDES: 'Não houve sintonia'

Ministro da Casa Civil afirmou também que 'houve uma incompatibilidade de gênios' com Bolsonaro e 'vida que segue'

Por ESTADÃO CONTEÚDO

O ministro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni
O ministro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni -
São Paulo - O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou, nesta segunda-feira, que o pedido de demissão do presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy, é um direito do presidente da República, Jair Bolsonaro, que o nomeou para cargo. "Houve uma incompatibilidade de gênios, não houve sintonia", disse o ministro após a abertura do Ethanol Summit, em São Paulo.

Onyx minimizou as críticas do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, que classificou a saída de Levy como uma covardia sem precedentes. "É vida que segue; foi algo respeitoso e natural. É questão natural do governo."

Segundo o ministro, o presidente Bolsonaro deseja que o próximo titular do BNDES "abra a caixa preta" da instituição de fomento.

Comentários

Onyx minimiza saída de Levy do BNDES: 'Não houve sintonia' O Dia - Brasil

Onyx minimiza saída de Levy do BNDES: 'Não houve sintonia'

Ministro da Casa Civil afirmou também que 'houve uma incompatibilidade de gênios' com Bolsonaro e 'vida que segue'

Por ESTADÃO CONTEÚDO

O ministro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni
O ministro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni -
São Paulo - O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou, nesta segunda-feira, que o pedido de demissão do presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy, é um direito do presidente da República, Jair Bolsonaro, que o nomeou para cargo. "Houve uma incompatibilidade de gênios, não houve sintonia", disse o ministro após a abertura do Ethanol Summit, em São Paulo.

Onyx minimizou as críticas do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, que classificou a saída de Levy como uma covardia sem precedentes. "É vida que segue; foi algo respeitoso e natural. É questão natural do governo."

Segundo o ministro, o presidente Bolsonaro deseja que o próximo titular do BNDES "abra a caixa preta" da instituição de fomento.

Comentários