Daniel Silveira - Divulgação
Daniel SilveiraDivulgação
Por O Dia
Brasília - O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes marcou para esta quinta-feira, dia 18, às 14h30, a audiência de custódia que vai avaliar a prisão em flagrante do deputado federal bolsonarista Daniel Silveira (PSL-RJ).
"Designo a realização de audiência de custódia de Daniel Silveira, por videoconferência, para o dia 18, às 14h30, na Delegacia de Dia da SRRJ, a ser presidida pelo juiz instrutor desse Gabinete, Aírton Vieira", disse o ministro no despacho.
Publicidade
No documento, Moraes também afirma que a unidade da Polícia Federal em que se encontra o preso disponibilizará o equipamento necessário para a realização do ato, bem como sua intimação e de seus patronos. 
A prisão foi determinada na noite desta terça-feira, dia 16, após Silveira, que já é investigado por participação em atos antidemocráticos, divulgar um vídeo com apologia ao AI-5, instrumento mais duro da repressão na ditadura militar, e defesa da destituição de ministros do STF, consideradas pautas inconstitucionais.
Publicidade
Na tarde desta quarta-feira, o STF decidiu por unanimidade manter a decisão de Moraes que levou à prisão do deputado federal. No julgamento, os ministros destacaram a legalidade da prisão em flagrante e o caráter de crime inafiançável.
Nesta tarde, por conta do vídeo, o deputado também foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) ao STF. Entretanto a palavra final sobre a manutenção da prisão será do plenário da Câmara dos Deputados. Isso porque, pela Constituição, a prisão em flagrante por crime inafiançável de qualquer deputado deve ser enviada em 24 horas para análise da Casa, que deve decidir sobre a manutenção ou não da prisão.
Publicidade