Entre os dias 1º e 8 de abril, a região Sudeste contabilizou 15.967 registros de óbitos
Entre os dias 1º e 8 de abril, a região Sudeste contabilizou 15.967 registros de óbitosAFP
Por O Dia
Rio - Pela primeira vez na história, o número de mortes superou o de nascimentos na primeira semana deste mês, na região Sudeste do país, segundo dados da Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil) disponibilizados no Portal da Transparência. Entre os dias 1º e 8 de abril, foram 13.998 registros de nascimentos. No mesmo período, a região Sudeste também contabilizou 15.967 registros de óbitos. As informações foram apuradas pelo portal G1.
Os dados ainda são preliminares, porque que os cartórios de todo o Brasil têm o prazo de 10 dias para registrar nascimentos e óbitos. No entanto, desde o ano passado, a tendência apresenta alta nas mortes em relação aos nascimentos. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) estimava que os números de nascimentos e os de falecimentos iriam se cruzar apenas em 2047. Porém, a pandemia de Covid-19 pode adiantar em décadas esse fenômeno. 
Publicidade
Registro de óbitos
O coronavírus provocou um crescimento de 40% no registro de óbitos no primeiro trimestre deste ano, em comparação ao mesmo intervalo de 2020, no Brasil. Os óbitos registrados no último ano, quando começou a pandemia, por todos os cartórios do território, alcançaram 1.443.405 - número 8,3% maior do que no ano anterior. O índice ultrapassou a média histórica de variação anual de mortes no país, que era de 1,9% ao ano, até 2019.
Publicidade