Coronavac
CoronavacReprodução
Por O Dia
O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta quarta-feira a liberação de mais 600 mil doses da vacina CoronaVac, do Instituto Butantan, contra o coronavírus. Os imunizantes serão enviados na sexta-feira ao Ministério da Saúde. Já foram entregues 41,4 milhões de vacinas ao Programa Nacional de Imunizações (PNI).
De acordo com o governo de SP, com a entrega antecipada de sexta-feira, que estava prevista anteriormente para o dia 3 de maio, serão 42 milhões.
Publicidade
“Inicialmente esta entrega estava prevista para o dia 3 de maio, mas graças ao trabalho em quatro turnos de profissionais do Butantan, nós conseguimos antecipar e nesta sexta-feira estaremos entregando ao Ministério da Saúde mais 600 mil doses da vacina do Butantan. São mais 600 mil vidas que serão salvas com a vacina que hoje representa 84% de todas as vacinas disponíveis no Brasil”, disse Doria.

Em março, foram disponibilizadas ao Ministério da Saúde 22,7 milhões de doses, em fevereiro 4,85 milhões e, em janeiro, mais 8,7 milhões de unidades. Em abril, até o último dia 19, foram liberadas 5,2 milhões de doses.

“Nós temos todo o senso de urgência, essa solicitação da entrega antecipada aconteceu exatamente porque alguns estados estão com dificuldades com a segunda dose, que não é o caso de São Paulo que tem a 2ª dose para todas as pessoas que tomaram a 1ª, mas dentro dessa necessidade vamos antecipar na medida do possível toda a produção”, disse o diretor do Butantan, Dimas Covas.
O Instituto Butantan recebeu no dia 19 de abril uma remessa de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) para a produção de novas doses da vacina contra o coronavírus. Ao todo foram recebidos 3 mil litros para a produção de 5 milhões de doses da Coronavac. O Instituto está em tratativas da Sinovac para receber um novo lote de insumos, com no mínimo mais 3 mil litros.

O Butantan ainda trabalha para entregar mais 54 milhões de doses para vacinação dos brasileiros até o dia 30 de agosto, totalizando 100 milhões de unidades. Atualmente, mais de 80% das vacinas disponíveis no país contra a COVID-19 são do Butantan.