Matéria Salva!

Agora você pode ler esta notícia off-line

Matéria removida da seção links salvos

Bolsonaro seguirá com acompanhamento de equipe médica assistente, diz hospital

Após ficar internado durante dois dias na unidade hospitalar em São Paulo, o presidente recebeu alta nesta manhã

Presidente Jair Bolsonaro (PL) recebeu alta nesta quarta-feira, 8Reprodução/Redes Sociais

São Paulo - O Hospital Vila Nova Star informou nesta quarta-feira, 5, que o presidente Jair Bolsonaro (PL) seguirá com acompanhamento ambulatorial da equipe médica assistente. Após ficar internado durante dois dias na unidade hospitalar em São Paulo, o chefe do Executivo recebeu alta nesta manhã.

"O Senhor Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, recebeu alta hoje do Hospital Vila Nova Star, da Rede DOr. O Presidente estava internado desde 03 de janeiro para tratar um quadro de suboclusão intestinal. Ele seguirá com acompanhamento ambulatorial pela equipe médica assistente", diz a nota do hospital.

O mandatário deu entrada na unidade na última segunda-feira, 3, por conta de um novo quadro de obstrução intestinal, mas não precisou de uma nova cirurgia.
Nas redes sociais, Bolsonaro publicou uma foto com a equipe médica e agradeceu: "Alta agora. Obrigado a todos. Tudo posso naquele que me fortalece".
Essa não é a primeira vez que ele sofre com essa condição. Anteriormente, o presidente já chegou a ser internado e precisou de intervenção cirúrgica para lidar com o quadro. O médico-cirurgião Antônio Luiz Macedo interrompeu suas férias nas Bahamas para tratar de Bolsonaro. Desde então, ele já precisou passar por seis cirurgias em decorrência do atentado.
Entretanto, nesta terça-feira, 3, a equipe médica concluiu que o presidente não precisaria passar por uma nova cirurgia. O boletim médico apontou que a obstrução intestinal "se desfez" e que Bolsonaro iniciaria uma dieta líquida. Horas depois, um novo comunicado concluiu que o mandatário "aceitou bem a alimentação líquida e teve retirada a sonda nasogástrica".
Na noite desta terça, um boletim divulgado pelo hospital informou que Bolsonaro havia tido a sonda nasogástrica retirada e mostrava sinais de recuperação.
O presidente estava em São Francisco do Sul, no litoral catarinense, desde o dia 27 de dezembro, acompanhado da primeira-dama Michelle Bolsonaro e uma comitiva presidencial, quando começou a passar mal no domingo passado. Ele deixou o local por volta da meia-noite da última segunda-feira, quando seguiu para Joinville em um helicóptero da Força Aérea Brasileira e, em seguida, voou para São Paulo.
Bolsonaro havia dado entrada no Vila Nova Star pela última vez em julho de 2021, quando também sentiu dores abdominais e ficou quatro dias no hospital. Na ocasião, também não precisou ser operado.
Você pode gostar
Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor.

mais notícias
Bolsonaro seguirá com acompanhamento de equipe médica assistente, diz hospital | Brasil | O Dia
Matéria Salva!

Agora você pode ler esta notícia off-line

Matéria removida da seção links salvos

Bolsonaro seguirá com acompanhamento de equipe médica assistente, diz hospital

Após ficar internado durante dois dias na unidade hospitalar em São Paulo, o presidente recebeu alta nesta manhã

Presidente Jair Bolsonaro (PL) recebeu alta nesta quarta-feira, 8Reprodução/Redes Sociais

São Paulo - O Hospital Vila Nova Star informou nesta quarta-feira, 5, que o presidente Jair Bolsonaro (PL) seguirá com acompanhamento ambulatorial da equipe médica assistente. Após ficar internado durante dois dias na unidade hospitalar em São Paulo, o chefe do Executivo recebeu alta nesta manhã.

"O Senhor Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, recebeu alta hoje do Hospital Vila Nova Star, da Rede DOr. O Presidente estava internado desde 03 de janeiro para tratar um quadro de suboclusão intestinal. Ele seguirá com acompanhamento ambulatorial pela equipe médica assistente", diz a nota do hospital.

O mandatário deu entrada na unidade na última segunda-feira, 3, por conta de um novo quadro de obstrução intestinal, mas não precisou de uma nova cirurgia.
Nas redes sociais, Bolsonaro publicou uma foto com a equipe médica e agradeceu: "Alta agora. Obrigado a todos. Tudo posso naquele que me fortalece".
Essa não é a primeira vez que ele sofre com essa condição. Anteriormente, o presidente já chegou a ser internado e precisou de intervenção cirúrgica para lidar com o quadro. O médico-cirurgião Antônio Luiz Macedo interrompeu suas férias nas Bahamas para tratar de Bolsonaro. Desde então, ele já precisou passar por seis cirurgias em decorrência do atentado.
Entretanto, nesta terça-feira, 3, a equipe médica concluiu que o presidente não precisaria passar por uma nova cirurgia. O boletim médico apontou que a obstrução intestinal "se desfez" e que Bolsonaro iniciaria uma dieta líquida. Horas depois, um novo comunicado concluiu que o mandatário "aceitou bem a alimentação líquida e teve retirada a sonda nasogástrica".
Na noite desta terça, um boletim divulgado pelo hospital informou que Bolsonaro havia tido a sonda nasogástrica retirada e mostrava sinais de recuperação.
O presidente estava em São Francisco do Sul, no litoral catarinense, desde o dia 27 de dezembro, acompanhado da primeira-dama Michelle Bolsonaro e uma comitiva presidencial, quando começou a passar mal no domingo passado. Ele deixou o local por volta da meia-noite da última segunda-feira, quando seguiu para Joinville em um helicóptero da Força Aérea Brasileira e, em seguida, voou para São Paulo.
Bolsonaro havia dado entrada no Vila Nova Star pela última vez em julho de 2021, quando também sentiu dores abdominais e ficou quatro dias no hospital. Na ocasião, também não precisou ser operado.
Você pode gostar
Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor.

mais notícias