Cíntia Chagas faz sucesso na internet ensinando Português

Professora tem canal de vídeos, dá "aulão na balada" e lança o livro de dicas 'Sou Péssimo em Português'

Por BRUNNA CONDINI | brunna.condini@odia.com.br

'Sou Péssimo em Português', Ed. Harper Collins, 159 páginas, R$ 34,90
'Sou Péssimo em Português', Ed. Harper Collins, 159 páginas, R$ 34,90 -

Rio - Estudar português pode ser divertido. E para a professora e influenciadora Cíntia Chagas, deve. A mineira de Belo Horizonte, possui quase 150 mil seguidores no Instagram, e seus vídeos, cheios de humor, esclarecem alguns dos erros mais comuns na língua, alcançando mais de 2 milhões de visualizações. "Acho que o sucesso dos vídeos vem da espontaneidade e da originalidade", conclui Cíntia, que acabou de lançar seu primeiro livro, 'Sou Péssimo Em Português'.

"Nele, o leitor vai encontrar regras de gramática essenciais ao dia a dia. Como o uso do 'porquê', e o uso do 'esse' e do 'este', por exemplo. Mas ensinados de um jeito inédito. O padre Fábio de Melo, no prefácio, disse que o livro tem protagonismo didático", conta.

"Enfim, os meus causos em sala de aula, motivadores das minhas demissões, agora são um best-seller. O mundo dá voltas", comemora, sem perder o humor.

Sim, Cíntia foi mandada embora de 10 instituições antes de criar seu curso pré-vestibular para estudantes de medicina e fazer sucesso com seu jeito irreverente de lecionar. "Eu não saberia dar aula de outra forma. Preciso do lúdico, do humor, da piada. Sempre fui assim", afirma. "Fui demitida por causa desse meu jeito de dar aula, que gerava vários tipos de desavenças: desde professores que reclamavam da cantoria vinda das minhas aulas até outros que mentiam sobre mim, dizendo que eu contava casos em vez de lecionar. Ora, eu leciono contando casos. Quer coisa melhor para o aluno? Já ouvi de tudo como justificativa para as minhas demissões: 'Isso aqui não é um circo', 'Você não nasceu para dar aulas', 'Você não tem perfil de professora, deveria ir pra TV'", desabafa.

VOLTA POR CIMA

Dos 36 anos de vida, 16 são dedicados ao ofício. E hoje, ela, além de bem-sucedida, é multiplataforma. A rotina é intensa: dos vídeos sobre a língua portuguesa no Instagram, ela dá aulas no próprio curso, fundado há dez anos, e é colunista da rádio Jovem Pan, em São Paulo. Cíntia também roda o país com palestras e workshops e ficou conhecida nacionalmente por conta do 'aulão solidário' que realiza nas baladas. Mas como é isso de aula na balada?

"É uma revisão que faço para o Enem. Levo os meus alunos para uma casa noturna, com toda a estrutura, DJ, luzes. E antes e depois da aula, há balada, mas sem álcool, é claro", esclarece. "Enfim, tudo isso serve de estímulo para os estudantes, que geralmente estão exaustos na reta final dos vestibulares de Medicina. E, para participar, eles levam donativos que serão entregues a uma ONG voltada para crianças".

Ela salienta ainda a eficácia da informação chegar de modo mais rápido ao aluno. "Nem as novelas têm diálogos longos mais. Já reparou? Além disso, o professor deve entrar no mundo do aluno: saber o que ele ouve, o que ele lê, o que estimula a garotada", diz.

E Cíntia antecipa uma novidade: "Estou investindo no mundo corporativo com o primeiro stand up comedy de português e de empreendedorismo do país. Quero levar conhecimento, motivação e diversão às pessoas. Percebi que essa é a minha missão".

Comentários

Últimas de Diversão