Assessoria da 'Calypso' diz que Chimbinha não volta mais para a banda

Em comunicado, guitarrista disse que vive momento espiritual: 'Estou acostumado a recomeçar, sempre com dignidade e respeito'

Por roberta.campos

Rio - Chimbinha não volta mais para a banda "Calypso". De acordo com a assessoria do grupo, o guitarrista não fará mais shows com a banda, após choro de Joelma e vaias na apresentação de Teresina, no fim de semana.

'Orei para que não acontecesse o pior', diz Joelma sobre show em Teresina

O músico ainda falou em comunicado que vai seguir com “projetos de qualidade” e que nunca foi de sua intenção machucar ninguém. “Não vou colocar em risco a vida de quem me acompanha há muitos anos”, escreveu.

Além de Chimbinha, saiu também da "Calypso" o baterista do grupo, Juquinha, que é amigo e muito próximo do guitarrista e líder da banda. Ele teria sido atingido no olho por um objeto no show do sábado.

Chimbinha não fará mais shows com a banda 'Calypso'Divulgação

Originalmente, Chimbinha faria shows com a "Calypso" até o dia 31 de dezembro, mas a decisão foi antecipada após o episódio de sábado, em que Joelma chorou durante uma apresentação do grupo. A notícia repercutiu nacionalmente e muitos a acusam de estar se fazendo de vítima.

Sônia Abrão detona Joelma: 'Depois diz que é evangélica'

Ainda segundo a assessoria da banda, os shows da "Calypso" seguem normalmente até o fim do ano. “Todos os shows estão confirmados e vão acontecer normalmente como guitarrista substituto”, disse a representante do grupo, Ágatha Santos.

Pelo Facebook, um representante de Chimbinha justificou por que o guitarrista não fará as três próximas apresentações da banda. ”Nosso público e contratantes merecem nosso profissionalismo e respeito. E quem ama, se respeita e respeita os outros”, disse. A "Calypso" tem shows marcados para Goiás e Brasília neste fim de semana.

O guitarrista segue dizendo que vive um momento espiritual e que as agressões que sofreu da parte dos fãs não diminuem seu profissionalismo. “Estou acostumado a recomeçar, sempre com dignidade e respeito ao próximo desde quando era apenas um adolescente com uma guitarra surrada e que tocava nos subúrbios de Belém.”

Fonte: iG

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia