'Ninguém pode ser privado de trabalhar', diz filha de Manoel Carlos sobre epilepsia

Atriz Júlia Almeida só tornou público seu diagnóstico no ano passado

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Júlia Almeida
Júlia Almeida -

Rio - Filha do renomado autor de novelas Manoel Carlos, Júlia Almeida usou as redes sociais nesta terça-feira, para falar sobre seu diagnóstico de epilepsia. Apesar de ter conhecimento da situação de saúde há nove anos, a atriz decidiu tornar o problema público apenas em 2018.

"Hoje (ontem, terça-feira), 26 de março, é o Purple Day, Dia Mundial da Conscientização da Epilepsia. Três fatos importantes: o cérebro de uma pessoa com epilepsia gasta cinco vezes mais energia para lidar com qualquer tarefa simples da vida do que o de uma pessoa que não tem esta condição. Epilepsia também é conhecida como 'a condição escondida' pelo fato de muitas vezes não ser aparente", explicou Júlia Almeida na legenda de uma caricatura de um cérebro sendo "costurado", como se fosse uma peça de tricô.

Em 2012, Júlia Almeida participou da novela "A Vida da Gente", mas só conseguiu retomar o trabalho como atriz em 2017, em "Tempo de Amar". "Nenhuma pessoa com a condição (epilepsia) pode ser privada do direito de trabalhar e viver uma vida completa. Feliz Purple Day para todos os guerreiros nessa luta diária", escreveu no perfil no Instagram. A atriz se casou em 2014 com Sebastian Bailey e vive atualmente nos Estados Unidos.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários