Repórter que acusa Datena de assédio afirma ter sido induzida a retirar denúncia

Cerca de nove meses após a denúncia, uma retratação da jornalista foi registrada no cartório de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo

Por Istoé

Bruna Drews e Datena
Bruna Drews e Datena -

Rio - Bruna Drews, repórter que havia denunciado José Luiz Datena por assédio, explicou nesta segunda-feira (28) o motivo de ter retirado a denúncia contra o jornalista. Ela revela que foi “induzida e mal orientada a assinar um documento que não condiz com a realidade” e ainda diz que não mentiu sobre o caso.

“A verdade é que meu processo de assédio sexual contra o apresentador inexplicavelmente foi arquivado. Não houve investigação policial, meu depoimento não foi colhido e nenhuma testemunha foi ouvida. A Justiça não me permitiu brigar pelos meus direitos”, publicou a repórter nas redes sociais.

Cerca de nove meses após receber a denúncia por assédio sexual, uma retratação da jornalista foi registrada no cartório de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. No documento, Bruna Drews inocentava Datena de qualquer acusação.

A “cantada” ofensiva de Datena teria acontecido em junho do ano passado, em um bar na região central de São Paulo. A repórter diz que só processou o jornalista meses depois porque ela sofreu com uma grave crise de depressão e pânico, após o ocorrido.

“A situação se inverteu e acabei processada por calúnia e difamação, mas não tinha condições psicológicas e financeiras para encarar mais esta briga. Fui induzida a fazer um acordo”, disse Bruna na publicação desta segunda. Confira o post com o texto completo abaixo:

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários