Neguinho da Beija-Flor - Agência O Dia
Neguinho da Beija-FlorAgência O Dia
Por O Dia
Rio - Neguinho da Beija-Flor, uma das principais figuras do carnaval carioca, comentou sobre o racismo presente no Brasil. Em entrevista ao Serginho Groisman, neste sábado, para o programa "Altas Horas", da Rede Globo, ele lamentou a morte de Gabriel Ribeiro Marcondes, seu neto de 20 anos que foi baleado na Baixada Fluminense em outubro.
Publicidade
Ele ainda relembrou outro episódio vivenciado há 20 anos quando passou por uma situação parecida. "Infelizmente, criar filho no Brasil com essa violência, principalmente sendo negro... Eu já tive filho baleado na porta da faculdade há 20 anos. Em uma blitz numa esquina tem 10 parados, um é 'pretinho'. A primeira coisa que a blitz vai atingir é o 'pretinho'. Depois vai revistar os outros", desafabou.
Ao ser perguntado se já sofreu racismo no Brasil, o sambista recordou de casos que viveu dentro de aviões pelo país. "Dentro do avião teve pessoa que trocou de lugar. Foi lá, cochichou com a comissária se não tinha outro lugar... e tu vê que o cara vai ali na viagem todo mal-humorado", revelou.